Horários De Atendimento

Segundas - 20 Hs - Mãe Ana e Pai Afonso.
Quartas - 20 Hs - Mãe Hosana e Pai Ney.
Quintas - 20 Hs - Mãe Gislaine e Pai Afonso.
Sextas --- 20 Hs - Mãe Sueli e Pai Joãozinho.
Sábados - 19 Hs - Mãe Sueli e Pai Joãozinho.

Primeira Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira de Desenvolvimento.
Segunda Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira da Corrente do Dr. Adolfo Bezerra de Menezes.
Terceira Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira de Desenvolvimento.
Quarta Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira Cigana.
Quinta Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira Fechada.

Primeiro Sábado do mês - 15 Hs - Jardins de Aruanda.

Endereço - Rua Meciaçu 145 Vila Ipê - Campinas SP.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

"Simpatia" contra polícia é encontrada durante apreensão de drogas em Osório (RS)


Agentes da Polícia Civil do Rio Grande do Sul apreenderam, na manhã desta quinta-feira (31), crack e material para embalar a droga em uma casa em Osório (95 km de Porto Alegre), no litoral norte gaúcho.

Uma mulher foi presa, e uma adolescente, apreendida. Porém, o que mais chamou a atenção dos policiais foi um papel sobre a cama do quarto. Com erros grosseiros de português, a folha de caderno amassada continha uma “simpatia” para afastar a polícia do local. O que não deu certo.

Ao conferirem uma informação repassada por um informante, os policiais realizaram uma batida na humilde casa do bairro Medianeira, um dos mais pobres da cidade de 41 mil habitantes.

No local, encontraram uma mulher de 23 anos com passagens por tráfico e uma adolescente de 14. Com as duas, foram encontradas 408 pedras de crack, sacos plásticos e papel alumínio para embalar a droga.

Vasculhado a casa, os agentes encontraram uma receita que ensinava como pedir para “pai Ogum” afastar a polícia do local. Entre os ingredientes listados, estavam sal grosso, vinagre, alho e azeite de dendê.

“Acho que como o nome do santo estava escrito errado, a simpatia não deu certo”, disse o chefe de investigação da delegacia de Osório, Luis Eduardo Messias.
Conforme o policial, as duas flagradas trabalham para traficantes da região.

A mulher foi encaminhada ao Presídio Feminino de Torres, enquanto a menor aguarda a manifestação do Juiz sobre um pedido do Ministério Público, que quer sua internação na Fase (Fundação de Atendimento Sócio – Educativo), do governo do Estado. A mulher e a menor não tiveram suas identidades reveladas.



Por isso que nossa religião é tão mal vista e mal compreendida....
Pobre Pai Ogum....usado seu nome tao erradamente
Pai JoãoZinho

quarta-feira, 23 de maio de 2012

MAUS SINAIS - (Em locais intitulados de "Umbanda" em suas portas).



1 - Procure sentir o ambiente e a proximidade das pessoas que trabalham nesse templo. Se você se sentir mal, perceber antipatias, sentir opressão ou mal estar, vá embora! É o seu Anjo da Guarda tentando desesperadamente lhe avisar que esse local não é aconselhável.

2 - Se nesse local cobram consultas, trabalhos, descarregos, etc., ainda que na forma de presentes ou sob o pretexto de doações espontâneas para Jesus, saia imediatamente do local.Vá embora! Os Guias da Umbanda nada cobram para trabalhar e ajudar as pessoas. Os espíritos de luz afastam-se dos templos que usam o nome de Deus, de Jesus ou dos bons espíritos como escada por onde seus dirigentes possam subir materialmente. Portanto, nunca esqueça: se lhe pedirem dinheiro, seja para o que for, não dê, porque na realidade eles não querem ajudá-lo. São exploradores da fé alheia, gente de mal caráter que tem apenas um objetivo: extorquir o dinheiro daqueles que os procuram. (Qualquer templo de Umbanda como qualquer igreja necessita de ajuda financeira, afinal igreja não é comércio para se auto manter financeiramente. No entanto, essa ajuda financeira deve partir da associação dos médiuns de uma casa e essas contribuições são minimas. Qualquer local que cobre pelo atendimento indica claramente que alguém está se beneficiando do dinheiro arrecadado, raciocine!)
Mas por que será que existem locais que cobram?
Existem locais que cobram porque existem pessoas dispostas a pagar para fazerem tudo de malem relação ao próximo. Como a Umbanda (praticada por gente séria) não faz conchavos com vagabundos, passam eles a procurar por aqueles que  atendam a seus pedidos de baixa moralidade e nessa situação, passam a ser vitimas dos quimbandeiros e outros tipos de exploradores que se intitulam umbandistas, MAS NA REALIDADE NÃO SÃO

3 - Se nesse local lhe disserem: nossos trabalhos são caros, mas são garantidos, vá embora! É mentira e eles só querem o seu dinheiro.

4 - Se o dirigente do templo (Pai de Santo, Babalaô ou Babalorixá como é chamado, ele ou ela) bebe, cheira mal, cheira a pinga azeda, fala palavrões dentro do templo, comparece aos trabalhos com roupas sujas ou tem péssimo conceito ou fama, saia imediatamente do local.Porque é ele (ou ela) quem precisa de ajuda espiritual, pois trata-se de pessoa altamente perturbada e perseguida por espíritos malignos.

5 - Se o ambiente estiver sujo ou se você sentir cheiro de carniça na porta de entrada do templo, ou ainda se você perceber que fazem matanças de animais, retire-se imediatamente do local! Nesse local não é praticada Umbanda e sim, Quimbanda (Magia Negra). Usam o nome da Umbanda, dos nossos Guias e protetores e mascaram-se de umbandistas para atrair pessoas desavisadas, incautas, ou desesperadas para, em seguida, explorá-las.

6 - Existem templos de Umbanda que usam velas pretas ou vermelhas e pretas (metade de cada cor) dentro do local conhecido como tronqueira (fica fora do templo) e é destinado aos exús, por serem essas as cores dos exús que guardam as portas dos templos de Umbanda. Porém, se tais velas forem acesas dentro do templo ou no altar, saia imediatamente do local. O uso de velas pretas ou vermelhas e pretas em rituais de Umbanda não existe. Se esse procedimento é adotado é prova que esse templo não é de Umbanda.

7 - Se nesse local lhe pedirem para sacrificar aves ou qualquer animal, em troca de alguma coisa que você esteja precisando, vá embora imediatamente do local. Lá não é praticada Umbanda. Se você entregar o animal para um sacrifício, você estará alimentando um espírito imundo e maligno, que tem interesse apenas no sangue derramado no sacrifício - são conhecidos como "vampiros", muito comuns nos trabalhos de Quimbanda. Aquele que cede a sacrifícios de animais atrai problemas, mazelas e perseguições desse espírito maligno. Tudo o que ele puder lhe conceder hoje com uma das mãos, ele lhe tomará amanhã com as duas mãos com o objetivo de forçá-lo a procurar por ele novamente, para que ele possa novamente explorá-lo. Nunca sacrifique um animal e não permita que o façam. Os guias da Umbanda possuem as forças necessárias para resolver os problemas de todos que os procuram e jamais irão utilizar esse meio bestial e diabólico para ajudar as pessoas.
Nos animais vivem espíritos embrionários. São nossos irmãos menores. É criminoso sacrificá-los com objetivo ritualístico. Proteja-os sempre.

8 - Se no ambiente você perceber fofocas, críticas destrutivas ou ciumeiras entre os médiuns,vá embora! Se na corrente de médiuns não existir harmonia, eles não conseguirão transmitir coisas boas ou harmonia.

9 - Se o dirigente do templo, ou entre os médiuns (eles ou elas) você perceber que são metidos a conquistas amorosas, retire-se imediatamente! Nesse local reinam espíritos conhecidos como vampiros, os quais vampirizam sexualmente suas vítimas.

10 - Tenha muita cautela se o templo atender seus freqüentadores com espíritos conhecidos como Exús ou Pomba Gira. O elemento Exú não pertence ao desenvolvimento dos rituais de Umbanda, rituais conhecidos como trabalhos, a função deles no desenvolvimento dos trabalhos é outra.
O elemento Exú comparece aos rituais de Umbanda apenas na função de auxiliar na guarda das portas dos templos de Umbanda, aliado às falanges de Ogum (O responsável pela manutenção da lei e da ordem no mundo astral), ou ainda, é utilizado em descarregos pesados de pessoas e ambientes. Isso, porém, só ocorre a portas fechadas, com autorização dos Guias de luz e sem atendimento ao público.
Quando espiritos entitulados Exús ou Pomba Gira, atendem às pessoas ou dão consultas, nesse local normalmente é praticada a Quimbanda. Como o leigo não tem como distinguir as diferenças entre Umbanda e Quimbanda, mais vale o ditado de que o seguro morreu de velho, nesses locais normalmente só existe sofrimento e vampirização.

Comentário do Pai de Santo sobre este tópico
.

Muitas pessoas entram em contato conosco sobre o assunto exús. Alguns indiginados nos dirigem palavras muitas vezes ofensivas tomando a defesa de suas casas e dos exús que nessas casas trabalham o que é compreensível, afinal sempre tomamos a defesa dos que nos são caros.
Mas se para voce exú é aquele ser marginal do astral, demonstrado nas imagens a venda no mercado com chifres, crânios, punhais, tridentes, etc. Que comparecem aos rituais para encher a cara e atender pedidos de baixa moralidade. E a pomba gira (Bombo Gira) é o espirito da mulher que em vida foi a prostituta, você não deve ficar indignado.

Indignados devem ficar todos aqueles que sabem QUEM SÃO e o QUE SÃO OS EXÚS e qual a suareal função nos templos de Umbanda.

Os que desconhecem essas funçõesdesconhecem também que os exús são amplamentemistificados por outras categorias de espiritos muito inferiores, (conhecidos como Quiumbas, Kiumbas e Rabos de Encruza) que aferrados aos vicios da matéria, vampirizam aos homens em suas energias e são eles que pedem os despachos e as matanças de animais em busca do "tonus vital" de baixa qualidade contido no sangue dos animais. Em troca do tonus vital, prometem aos homens um sem fim coisas que o merecimento dessas pessoas lhes nega e nessa situação tem inicio a deturpação de nossos rituais.
Os verdadeiros exús não comparecem aos nossos cultos para trazer o homem ou a mulher dos sonhos de alguém de volta em 7 dias, destruir uniões ou sociedades, enfim, prejudicar as pessoas.
E acima de tudo, se um templo tem um dirigente de luz, conhecido como "guia chefe", (caboclo, preto velho ou criança) por qual razão esse guia de luz permitiria esses pedidos em sua casa, casa que possui um altar, onde acima de todas as imagens está a de Jesus (Oxalá) que pregou aos homens "o perdão sem limites".
Nessas giras de exú reinam a vaidade e o orgulho dos médiuns que dela participam, que vestem-se de vermelho e negro e outras vestem-se ricamente, exigem bebidas finas (
que não existiam na África), cigarros finos, piteiras, etc. Tudo isso é fantasioso e não reflete os exús verdadeiros, reflete aqueles que desejam ser como eles.

Ser exú não é uma questão da indole de um espirito, indole que o inclina para o mal.

Para ser exú são necessários altissimos conhecimentos das leis de causa e efeito do mundo astral, conhecimentos que para o leigo é chamado de magia e esses conhecimentos que não estão a disposição de qualquer um, em decorrência dessa lógica, NÃO É QUALQUER UM QUE CONSEGUE SER UM DELES.

Aprendi que função básica dos exús é a defesa de um templo ao lado das falanges de Ogum e a defesa da corrente formada pelos médiuns desse templo, fora isso, nas giras de exú o perigo das mistificações (
nos dois mundos) é muito grande e também é, muito perigoso.

Para os exús valem duas regras:

1 - Exú não é brinquedo (Com eles ninguém brinca).
2 - Exú não gosta de vagabundos (De qualquer tipo)

Raciocine!

Se aquilo que você vê na Iternet, em videos  como do Youtube retratando exús e pomba gira está bom para você, então NÃO fique  indignado.

Indignados portanto, devem ficar os verdadeiros exús, que são amplamente mistificados por maus médiuns, kiumbas e quiumbas.

Minha opinião a respeito do que escrevo, retrata o meu modo de enxergar a vida e também, do que vi na vida em visitas a terreiros que se diziam de Umbanda (e foram mais de 500), portanto, discordar do que escrevo é seu direito, mas se, ou quando o fizer, faça-o com respeito.

"Este site não foi montado com o objetivo de denegrir ou ofender a nossa VALOROSA linha de exús" e sim, ajudar  (embora não precisem) a defendê-los das mistificações feitas em seus nomes". 


11
 - Se nesse local falarem exageradamente e a todo instante de fatos ou milagres relacionados aos Guias ou aos médiuns da casa, vá embora! Ninguém faz propaganda, a menos que precise vender.

12 - Se o dirigente do templo (ele ou ela) bajula os ricos e poderosos e trata os mais humildes com descaso, vá embora! Ele (a) é safado e mau caráter e desconhece sua posição insegura e transitória neste mundo. Na realidade, trata-se de um grande infeliz que responderá exemplarmente no mundo espiritual, por ter sido rapineiro com seus semelhantes. A missão do médium chefe de um templo de Umbanda é sacerdotal, desta forma, essa missão vem do berço. O médium chefe, uma vez consciente de sua missão mediúnica, jamais discriminará qualquer pessoa, seja ela rica, pobre, branca, negra, homem, mulher, etc., já que conhece as leis de causa e efeito de nosso poderoso Pai.

13 - Se o ambiente não for amigável e estiver sujo, saia imediatamente! Bons espíritos não habitam e não freqüentam lugares sujos. O templo pode ser humilde, isso não importa. O importante é que esteja limpo e organizado.

14 - Se um templo não transmitir a fé em Deus, em Jesus Cristo e nos Orixás, procurando desta forma lhe transmitir assuntos sérios como a caridade, a fraternidade, o perdão e o amor ao próximo e transmitir a idéia de fanatismo, vá embora!  Compreenda que existe diferença entre fé e fanatismo. O fanático não distingue a verdade da impostura e torna-se vítima de espertalhões e obsessores.

15 - Se num templo, tentarem lhe incutir medo mediante argumento do tipo "se você não fizer isso ou aquilo, vai lhe acontecer isso ou aquilo" é sinal que esse templo não é aconselhável, uma vez que o dirigente do templo e seus médiuns são fanáticos. Vá embora desse local.

Para distinguir um templo de Umbanda verdadeiro, é simples:

Se o dirigente do templo e os médiuns forem fisicamente limpos, mesmo que pobres, fique! A condição financeira de uma pessoa não é prova de sua força mediúnica e sim, de sua prova na vida. Existem templos de Umbanda muito humildes, dirigidos por gente muito humilde e são templos sérios, quando dirigidos por gente séria.
O dirigente de um templo (Pai de Santo, médium chefe, etc.) é a viga que o sustenta em pé. Se forem pessoas moralmente corretas dificilmente praticarão coisas imorais ou negativas.

Procure descobrir ou saber quem são eles.

Antes de depositar total confiança em seus conselhos ou trabalhos.

E, acima de tudo, nunca pague por nada que receber na Umbanda. Na Umbanda tudo é de graça. Compreenda que Deus não quer o seu dinheiro, quer apenas a sua fé, a sua devoção e o respeito pelas coisas Santas. Não há necessidade de pagar por nada na Umbanda. Nossa religião não aceita dízimos, não quer ofertas ou doações. Os templos sérios, dirigidos por médiuns sérios, são mantidos através da associação de seus médiuns e de seus freqüentadores, sendo essas pessoas as responsáveis pela manutenção do templo (água, luz, impostos, velas, ajuda em alimentos a pessoas necessitadas, medicamentos, etc.). Em hipótese alguma os médiuns que formam a corrente mediúnica de um templo sério aceitarão dinheiro, presentes ou agrados de qualquer espécie.

Para alguns seres humanos desprovidos de qualquer respeito pelas "coisa santas" a Umbanda é um  meio de vida, já que incapazes de trabalhar honestamente como a maioria das pessoas decentes, se dizem médiuns e se valem do fanatismo e da credibilidade das pessoas que os procuram para explorá-las financeiramente e esses exploradores desconhecem o futuro tenebroso que os aguarda por terem usado uma religião como meio de ganhar dinheiro. São classificados como mistificadores e atraem para perto de si mesmos um mundo espiritual também mistificador que os assedia constantemente e os mantém no erro.
Para esses só existe um sentimento a ser dispensado:

A piedade!


Para outros mais, a Umbanda é um meio que possuem para estravasar suas fantasias mentais, representando entidades espirituais normalmente da esquerda, se vestem de vermelho e negro, usam adornos caros e tentam a todo custo mostrar as pessoas que os procuram o que não são.
Não fogem a regra de serem mistificadores e como no caso acima, se cercam de um mundo espiritual também altamente mistificador, atraem para perto de si os quiumbas, os kiumbas e os rabos de encruza, que dia após dia traçam a estratégia que os leva a miséria em todos os aspectos, mas mesmo assim, colocam o orgulho, a vaidade e o egoismo direcionando os caminhos da própria vida e para esses só se pode dispensar um sentimento:

A piedade!


Mas para outros, que sinceros e cientes de quem são (espiritos em provação) e do que são (médiuns de Umbanda) a missão mediunica lhes corre nas veias e para eles é um sacrilégio e um desrespeito sem limites, permitir que o nome da religião que abraçaram nesta existencia seja alvo de pessoas mesquinhas e exploradoras, pessoas infelizes e incautas que usam o nome da Umbanda para praticar imoralidades.

Para os médiuns sinceros da Umbanda só se pode dispensar um sentimento:

Axé! (força)

Para os maus e para os exploradores que se valem do nome Umbanda para praticar imoralidades vale a frase abaixo dita pelo Exu da Capa Preta em uma de nossas reuniões quando indagado sobre os imorais no ambiente umbandista:
"Em nosso meio existem pequenas mentes que deveriam habitar pequenos corpos, como exemplo: "Corpos de Amebas" já que infectam e infestam  o ambiente da Umbanda Sagrada".

Exu da Capa Preta - (Exu Lebará do Núcleo Umbandista São Sebastião)

Fonte: http://www.nuss.com.br/     Núcleo Umbandista São Sebastião 

terça-feira, 22 de maio de 2012

24 de maio dia de Santa Sara Kali - Povo Cigano


Conta a lenda que Maria Madalena, Maria Jacobé, Maria Salomé, José de Arimatéia e Trofino, junto com Sara, uma cigana escrava, foram atirados ao mar, numa barca sem remos e sem provisões.
Desesperadas, as três Marias puseram-se a orar e a chorar. Aí então Sara retira o diklô (lenço) da cabeça,chama por Kristesko (Jesus Cristo) e promete que se todos se salvassem ela seria escrava de Jesus, e jamais andaria com a cabeça descoberta em sinal de respeito.
Milagrosamente, a barca sem rumo e à mercê de todas as intempéries, atravessou o oceano e aportou com todos salvos em Petit-Rhône, hoje a tão querida Saintes-Maries-de-La-Mer. Sara cumpriu a promessa até o final dos seus dias.
Sua história e milagres a fez Padroeira Universal do Povo Cigano, sendo festejada todos os anos nos dias 24 e 25 de maio. Segundo Míriam Stanescon - Rorarni (princesa do clã Kalderash), deve ter nascido deste gesto de Sara Kali a tradição de toda mulher cigana casada usar um lenço que é a peça mais importante do seu vestuário: a prova disto é que quando se quer oferecer o mais belo presente a uma cigana se diz: Dalto chucar diklô (Te darei um bonito lenço).
Além de trazer saúde e prosperidade, Sara Kali é cultuada também pelas ciganas por ajudá-las diante da dificuldade de engravidar. Muitas que não conseguiam ter filhos faziam promessas a ela, no sentido de que, se concebessem, iriam à cripta da Santa, em Saintes-Maries-de-La-Mer no sul da França, fariam uma noite de vigília e depositariam em seus pés como oferenda um diklô, o mais bonito que encontrassem. E lá existem centenas de lenços, como prova que muitas ciganas receberam esta graça.
Para as mulheres ciganas, o milagre mais importante da vida é o da fertilidade porque não concebem suas vidas sem filhos. Quanto mais filhos a mulher cigana tiver, mais dotada de sorte ela é considerada pelo seu povo. A pior praga para uma cigana é desejar que ela não tenha filhos e a maior ofensa é chamá-la de DY CHUCÔ (ventre seco). Talvez seja este o motivo das mulheres ciganas terem desenvolvido a arte de simpatias e garrafadas milagrosas para fertilidade

Oficio - Cecojam


TERREIRO DE UMBANDA VÒ BENEDITA DO CONGO
Rua Meciaçu, 145 Vila Ipê – Campinas – São Paulo

MEMBRO da AUEESP – Associação Umbandista e Espiritualista do Estado de São Paulo


Ilmo Senhor
Alfredo Bonardo
Presidente CECOJAM
Vimos ate V/S solicitar que nos seja cedido no dia 23/09/2012 a Sede Social do CECOJAM, para que possamos realizar um evento social de nossa entidade que será aberto a comunidade, denominado , Festa de Cosme e Damiao, solicitamos também que nos seja cedido no dia 23/12/2012 para outro evento, esse apenas interno de nossa entidade.
Contamos com sua colaboração e compreensão.
Nossa entidade é uma instituição religiosa sem fins lucrativos, localizada a Rua Meciaçu 145, Vila Ipê, Campinas – SP.
Hoje contamos com cerca de 80 membros em nossa corrente e uma media de 100 atendimentos por cerimônias, que são as segundas, quartas ,sextas e sábados.
Somos Membros da AUEESP, seguimos assim normas e regulamentos corretos e estamos com nossa Ata de Fundação e Registro homologada nos Cartórios de Campinas.

Coloco-me a disposição para quaisquer necessidades ou esclarecimentos

                         

JOÃO CARLOS GALERANI JUNIOR

Dirigente Espiritual

sexta-feira, 18 de maio de 2012

A ALMA DOS ANIMAIS


OS ANIMAIS TAMBÉM TÊM ALMA E SE MANIFESTAM NO PLANO ESPIRITUAL, MAS POR ESTAREM EM UM NÍVEL INFERIOR, REQUEREM CUIDADOS DO SER HUMANO
Maria Madalena Naufal


Muitos duvidam da existência da alma nos animais, achando que apenas o homem a possui. Outros, entretanto, afirmam que eles não só têm alma, como esta é igual à do homem. Entendendo-se como alma a parte imaterial do ser, o espírito, os animais a possuem sim e esse princípio independente da matéria sobrevive ao corpo físico.
Nesse propósito, temos em O Livro dos Espíritos a seguinte explicação: “É, porém, inferior à do homem. Há entre a alma dos animais e a do homem distância equivalente à que medeia entre a alma do homem e de Deus”. Na mesma obra, encontramos também um esclarecimento muito importante para o assunto em pauta: “Após a morte, conserva a alma dos animais a sua individualidade e a consciência de si mesma? Conserva a sua individualidade; quanto à consciência do seu eu, não. A vida inteligente lhe permanece latente”.
No livro Os Animais têm Alma?, Ernesto Bozzano, conhecido filósofo e metapsiquista italiano, apresenta 130 casos de materializações de animais, visão e identificação de espíritos de animais mortos, alucinações telepáticas percebidas ao mesmo tempo pelo animal e pelo homem, bem como várias aparições de animais sob forma simbólico-premonitória. Cada caso é devidamente documentado e os comentários, apresentados com suas respectivas conclusões, são de difícil contestação.




A PSIQUE ANIMAL

A respeito de sua obra, Bozzano afirma: “Ela consiste em um primeiro ensaio para demonstrar, por um método científico, a sobrevivência da psique animal. É preciso voltarmos ao nosso assunto e concluirmos salientando que a existência de faculdadessupranormais na subconsciência animal, existência suficientemente comprovada pelos casos que expusemos, constitui uma boa prova em favor da psique animal. Para o homem, deve-se inferir que as faculdades em questão representam, em sua subconsciência, os sentidos espirituais pré-formados esperando se exercerem em um meio espiritual (como as faculdades dos sentidos
estavam pré-formadas no embrião esperando se exercerem no meio terrestre). Se assim é, como as mesmas faculdades se encontram na subconsciência animal, deve-se inferir daí, logicamente, que os animais possuem, por sua vez, um espírito que sobrevive à morte do corpo”.
Em Nosso Lar, de André Luiz, encontramos um trecho que dá conta
da existência de animais no plano astral: “Seis grandes carros formato diligência, precedidos de matilhas de cães alegres e barulhentos, eram tirados por animais que, mesmo de longe, me pareceram iguais aos muares terrestres. Mas a nota mais interessante era os grandes bandos de aves, de corpo volumoso, que voavam a curta distância, acima dos carros, produzindo ruídos singulares”.
O que estariam fazendo esses animais que acompanhavam a caravana dos samaritanos, constituída por espíritos abnegados que iam até o umbral buscar enfermos para serem tratados nas “câmaras de retificação”?
Colaborando. Os cães facilitavam a penetração nas regiões obscuras e afastavam seres monstruosos, os muares puxavam cargas e forneciam calor onde necessário e as aves devoravam as formas mentais odientas e perversas.
O pai da médium Yvonne A. Pereira, por meio de mensagem psicografada por ela, enviou um importante contributo para o nosso assunto. Ao desencarnar, ele foi levado para uma cidade pequena, sossegada, apropriada para convalescentes. Ao despertar, após três dias de seu decesso, encontrava-se só em uma varanda orlada de trepadeiras floridas. “O único rumor partia do orquestrar longínquo de uns pássaros, verdadeira melodia que ressoava aos meus ouvidos com delicadeza e ternura”, disse.


CUIDAR DOS ANIMAIS

No livro O Consolador, Emmanuel esclarece quanto à missão que os humanos têm com relação aos nossos irmãos menores, que são os animais: “Sem dúvida, também a zoologia merece o zelo da esfera invisível, mas é indispensável considerarmos a utilidade de uma advertência aos homens, convidando-os a examinar detidamente seus laços de parentesco com os animais dentro das linhas evolutivas, sendo justo que procurem colocar os seres inferiores da vida planetária sob seu cuidado amigo. Os reinos da natureza, aliás, são o campo de operação e trabalho dos homens, sendo razoável considerá-los mais sob a sua responsabilidade direta que propriamente dos espíritos, razão porque responderão perante as leis divinas pelo que fizerem em consciência com os patrimônios da natureza terrestre”.
Sábia advertência, felizes os que a escutarem. Nosso carinho e solidariedade devem se estender aos seres que, mesmo estando abaixo de nós na escala evolutiva, são capazes de nos servir e amar. Necessitamos deles como eles necessitam de nós. E nessa troca de trabalhos e afetividade, todos ganham.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

15 de novembro dia Nacional da Umbanda



Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 12.644, DE 16 DE MAIO DE 2012.


Institui o Dia Nacional da Umbanda.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e
eu sanciono a seguinte Lei:

           Art. 1o  Fica instituído o Dia Nacional da Umbanda, que será
comemorado, anualmente, em 15 de novembro.

Art. 2o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília,  16  de  maio  de 2012; 191o da Independência e 124o da República.

DILMA ROUSSEFF
Anna Maria Buarque de Hollanda
Luiza Helena de Bairros

Este texto não substitui o publicado no DOU de 17.5.2012

domingo, 13 de maio de 2012

Feliz dia das MÃES


Que neste dia você possa estar junto de sua mãe e de seus filhos.

Aqueles que não puderem estar juntos, que seus sentimentos e 
palavras possam alcançar Mães, avós e bisavós; filhos, netos e bisnetos... estejam onde estiverem...encarnados ou desencarnados...
 
Que neste dia, para além, das mães biológicas vosso pensamento 
possa ir Ao encontro das mães divinas:

Logunã, Oxum, Obá, Iansã, Egunitá, Nanã Buroque e Iemanjá

Deus também é MÃE...

A benção da Mãe Divina para todos que se permitem viver e sentir o AMOR

O amparo da Mãe Divina a tantos que sofrem pela falta de um AMOR

A Luz da Mãe Divina a tantos que se encontram nas trevas do 
desamor...

 

“Feliz dia das MÃES, neste dia, que o homem criou para lembrar 
que tem MÃE ...”

Alexandre Cumino e Exu Sultão

Trab.Preto Velhos - C.Filhos de Jorge














sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mensagem às Mães Umbandistas






Mês de maio – Mês de Maria – a Mãe de Jesus e de toda a humanidade

Nesta data consagrada às Mães, nossa homenagem a todas as Mães Umbandistas.

Em todas as Tendas de Umbanda encontramos a presença da mulher em todas as missões nos diversos planos de ação.
As que receberam do Alto a sagrada missão espiritual de conduzir um templo sagrado de Umbanda tornam-se verdadeiras mães orientando a todos com amor e elevação de sentimento materno.

A sagrada Lei de Umbanda em sua missão pelo bem da humanidade encontra na mulher umbandista um ponto de apoio para o progresso espiritual através do exercício de sua mediunidade.

Mãe Umbandista possa ser sempre abençoada e iluminada.

Nós agradecemos pela sua constante presença através de suas palavras amigas e fraternas.

Sua missão é por demais importante para cada um de se seus filhos.

Fraternalmente

PEDRO MIRANDA - UNIÃO ESPIRITISTA DE UMBANDA DO BRASIL

Emoção, Possibilidade e Atitude. 13 de MAIO está chegando

Posted on maio 9, 2012 by Mãe Mônica Caraccio

Axééé pessoal!!! Estamos chegando perto do dia treze de maio, dia em que os terreiros de Umbanda cheiram a bolo de fubá, café e guiné, se enfeitam de pipocas, crisântemos, palhas da costa e cantam para as almas, mirongas e Pretos Velhos, entidades espirituais que representam os anciãos conselheiros, os sábios bondosos e os vovôs e vovós “feiticeiros”.

Nesse dia também comemoraremos o Dia das Mães. Mulheres de todas as idades, belezas e esperanças, cheias de lembranças, ideais e cicatrizes, que lutam, cuidam, criam e educam, ou negam, abandonam, violentam e destroem.

E além dessas duas datas que mexem com nossas emoções, historicamente é o dia em que se comemora a Abolição da Escravatura, momento em que, de acordo com a Lei Áurea (Lei Imperial n.º 3.353) assinada em 13 de maio de 1888 pela princesa Isabel, encerrou-se o terrível ciclo de dor, covardia, sangue, violência, morte e desrespeito entre negros e brancos, ou melhor, entre seres humanos. Aliás, vale a pena salientar e pontuar que essa data se contextualiza somente de acordo com a história, afinal, ainda existe, nos dias atuais e em qualquer lugar, as mesmas barbáries da época de escravidão, sobrecarregadas de preconceito, prepotência e arrogância.

Enfim, estou imaginando quantos sentimentos, quantas energias e quantas lembranças, falas, juras, lamentos, comemorações ou ainda, quantas lágrimas de alegria e de tristeza envolverão a atmosfera nesse dia.

Dia em que será exposta e vibrada a energia da Emoção junto com o atributo da Memória propriamente.

Assim, só posso pedir para que comecemos AGORA a refletir sobre nossos atos, pensamentos e sentimentos. Que fiquemos atentos à real possibilidade da energia ficar densa e tensa, de uma carga mais pesada e negativa sobrecarregar nosso campo áurico e mediúnico devido à projeção de cordões magnéticos e espirituais, afinal, a emoção ‘está no ar’, o passado estará sendo revivido potencialmente mesmo que inconscientemente e nossos antepassados serão lembrados muitas vezes abarbados de mágoas, dores, lamentações, apegos, saudades…. ou seja, cheios de sentimentos que, na grande maioria, são negativos.

Reflitamos e percebamos, nessa época é comum que as mulheres que negaram a maternidade, consequentemente, a geração, o nascimento, a passagem da condição de desencarnado para encarnado – oportunidade importantíssima para os espíritos que se encontram no plano espiritual e que muito se preparam e esperam pelo momento de reencontro – sofram influências espirituais mais intensas, como reação de suas próprias ações. Normalmente são os espíritos/filhos que reclamam por seus direitos de nascer, de terem mães, de reencontrarem suas famílias.

É comum também, pessoas que viveram – sustentados pela crença da reencarnação – na época da escravidão, que foram, em vidas passadas, agressores, mantenedores de escravos ou ainda o próprio escravo, sentirem igualmente fortíssimas influências alcançando o patamar de ‘ataques espirituais’ como reação de suas próprias ações. São pessoas que obviamente não sabem de seu passado e de suas dívidas espirituais, mas que devido a violência que o espirito revive nesse período de comemoração à Abolição da Escravatura, sentem um grande aperto no peito, uma tristeza inexplicável chegando à depressão, dores em partes específicas do corpo que surgem do “nada” ou ainda, entre tantas outras possibilidades, uma revolta, uma violência, um ódio descontrolado e até sobrenatural.

Claro que esse pensar, que esse olhar ou que essa sensibilidade não podem servir de justificativa aos nossos desequilíbrios, comodismo ou vitimísmo. Pelo contrário, a compreensão “do que” nosso espirito pode estar sofrendo, “da possibilidade” da energia ficar mais densa pelas relações emocionais e principalmente, que “tudo é” Ação e Reação, da mesma forma que tudo é ‘Reação de nossas próprias Ações’, devem nos inspirar dia a dia, devem ser as bases de nossas atitudes, pensamentos e sentimentos, consequentemente, a bomba ejetora que propicia o “fazer diferente”.

Refletir, se vigiar, se disciplinar, respirar fundo o ar da resignação e rezar com o coração aberto e sincero são, sem sombra de dúvida, as melhores opções a todos nós.

Além disso, é óbvio que encher nossa casa de axé, de energia de “preto velho”, de compreensão, perdão e serenidade, são excelentes atitudes que também irão garantir um período mais sereno.

Por fim, ainda podemos aproveitar os grandiosos ensinamentos dos Pretos Velhos de nossa querida Umbanda, mesmo porque, ninguém mais, ninguém menos, conhece o que é dor, preconceito, compaixão, bondade, lágrima e esperança.

Axé a todos e boa reflexão…

http://www.minhaumbanda.com.br/blog/?p=5512#more-5512

NASCIMENTO E MORTE POR PRETO VELHO PAI INÁCIO

O Nascimento e a Morte são as mesmas coisas

Todos os seres passam durante o seu caminhar evolutivo por um período de
reciclagem, de retomada de caminhos ou de momentos onde o velho tem que ser
renovado, as decisões avaliadas e novos desafios a serem encarados. Isso
porque como já vimos estamos num eterno fluir e nunca estacionamos
independentemente do estágio que nos encontramos.



Nem o Universo como sendo uma manifestação viva ficará estacionado. Como já
mencionamos está em uma expansão contínua e progressiva, nunca retrógrada.
Assim afirmamos que a palavra morte é somente um “momento” transitório entre
a preparação e o reinicio de uma retomada visando o superior “logo mais ali”
que é a saída de uma encruzilhada.



Quando desencarnado, o espírito, passa por várias “mortes”, quando for
necessário trocar de pátrias, reencarnar, ou desencarnar. Nessas situações é
necessária uma preparação tão rigorosa e ou criteriosa.



Nas passagens entre pátrias e na reencarnação os seres são condensados
“plasmáticamente” para serem transladados sendo que possuem um corpo
espiritual e uma alma.



Quando encarnados os seres tem que serem primeiramente destituídos de um
corpo, o material e após, condensados também “plasmáticamente” para o
translado para o nível espiritual já designado pelo resultado de suas
conquistas próprias que sempre são agregadas em sua alma.




*Vamos primeiramente falar sobre a “morte” que ocorre quando o espírito
ainda está desencarnado:*

**

Assim que determinadas situações são alcançadas, sejam elas positivas ou
negativas, os mentores ou mestres responsáveis por esse espírito pedem aos
Guardiões Superiores da Aruanda a permissão para que uma nova missão ou
missões seja designada visando sempre à evolução tendo como base um
aprendizado meritório de boa vivência ou de um aprendizado meritório de
aplicação corretiva (punitiva) conforme for o estágio alcançado pelo seu
discípulo, já que para ambas as situações se fazem necessário uma nova
caminhada em uma pátria solar onde pode ser vivenciada ainda no espiritual
ou no nível material correspondente a esse sistema, como ainda pode ser
pedida sua permanência nesse mesmo sistema, mas desde que ocorra a
reencarnação para o seu nível terreno.



O que determina qual a melhor medida a ser tomada será o balanço dos
atributos que o espírito conseguiu acrescentar na sua alma e o balanço das
qualidades que arregimentou durante sua estadia como aluno podendo se for
avaliadas positivamente, essas qualidades, receber do Divino novos atributos
que irão colaborar para o sucesso de sua missão.



Assim que conseguida a permissão e for concomitantemente definido o seu
destino, é necessário ocorrer uma preparação que acaba envolvendo em novo
curso de aprendizado que serão com aulas extremamente rigorosas aonde que
devem participar o mestre com o seu pupilo e o colegiado formado pelos
antepassados mais notáveis e preparados para o auxiliarem na passagem.
Somente chegou-se nesse ponto, é bom ressaltar, porque houve a perfeita
anuência do aluno como também a aprovação da formação do colegiado de
antepassados por todo o seu tronco familiar.



Nessa preparação são alertados de todo e qualquer empecilho que possa
acarretar o insucesso e se ocorrer quais a medidas que ainda podem ou não
ser tomadas para sua correção.



É próximo ao término dessa fase que o espírito escolhe as condições para sua
passagem e se for uma definição pela reencarnação cabe-lhe por direito
escolher seus pais, seu ambiente ideal para viver, as forças vibratórias de
seu nome, quantas missões e submissões serão necessárias como metas, a sua
condição financeira, a condição do corpo físico que usará, o tempo da demora
para o cumprimento de seus desígnios, e as pessoas com afinidade que devem
ser colocadas no seu caminho visando sempre positivamente ou negativamente
auxiliar no seu aprendizado, entre outras tantas condições que lhes serão
necessárias.



Se todas as condições foram planejadas a contento, imediatamente começa o
inicio da próxima fase chamada de “condensação plasmática” e pode ser
conjugada, quando for um processo reencarnátorio para o nível terreno, com a
união sexual do casal escolhido para a fecundação, aonde nesse exato momento
além da fecundação ocorre também a implementação das condições do ventre
materno para abrigar a alma do aluno aonde a futura mãe irá por três meses
sentir a formação de um corpo físico com, e dentro dele uma alma, enquanto é
aguardada a chegada do espírito. Esse é ultimo momento em que ele que está
preste a reencarnar pode desistir.



Se o fizer, desistir que lhe é um direto, no nível terreno simultaneamente
irá ocorrer o conhecido aborto natural que muitas vezes acabam deixando os
médicos sem uma explicação aplausível já que aparentemente tudo corria muito
bem com a futura mamãe. Além do mais os antepassados e mentores que tanto
participaram na preparação sentem-se frustrados já que por Lei nessa fase
são meros espectadores por ser unicamente um direito do aluno pela decisão
de recuar e retornar para a sua Aruanda e que lá chegando seus conhecimentos
e aprendizados serão reciclados, enquanto seus antepassados e seus mentores
serão molestados pelos superiores por não terem conseguido prepará-lo
convincentemente.



Não ocorrendo a sua desistência com certeza haverá cantos e festas
jubilosas. O espírito que acabou não abrindo mão de seu direito de
desistência começa a ser condensado em sua essência.



Um Orixá conhecido comoNanã(decantação) e Oxumarê (renovação)se encarregam de tutelar o ser a caminho parao nível terreno. Ajuda-o a se acostumar com uma progressiva perda de memória ocasionada pela diminuição do seu corpo mental e com a diminuição igualmente
do seu corpo emocional começa a sentir-se confuso, desorientado. É um sentimento comparado a dores físicas, como creio não ser errada essa comparação porque a condensação é proporcional ao poder evolutivo contido em si mesmo, onde ele pode ter no corpo mental tantos corpos correlatos como também no emocional e por isso a compressão é acentuada.



É como se o corpo espiritual, comparando-se a um balão de ar, recebesse uma
grande quantidade em seu interior de matérias sem poder com isso alterar seu
volume aumentado sua pressão interna, mas sem conseguir nunca estourar em
sua forma. Além do mais chega um momento que sua parte externa, a sua forma,
também tem que ser condensada conjuntamente enquanto ocorre a mudança
interior. O externo que é o espírito vai diminuindo, enquanto que seu
interior, que são todos os corpos agregados ao emocional e mental vão
aumentando em quantidade enquanto que concomitantemente com o interior vão
se condensando. Se estiver confuso para seus entendimentos, imaginem a
confusão que ocorre no consensual dos seres que passam na prática por tal
fenômeno numa rapidez colossal, pois eis que na terra se aproxima o exato
momento onde se completa três meses de gestação que é o período que será
realizado a sua passagem.



Para os encarnados que recebem o espírito é um nascimento, mas para os que
conviviam no espiritual acham que ocorreu uma morte. Depende de onde
observam a passagem, do material ou do mundo espiritual.



Esse ser passando na sua vida terrena assimila positivamente ou
negativamente tudo que for designado pelo karma previamente escrito.



Independentemente do seu período ou anos de vida chega um momento que nas
paragens terrenas não tem mais serventia para o seu aprendizado e
crescimento evolutivo. Seus mentores e antepassados igualmente recorrem
novamente aos Guardiões Cósmicos pedindo a intervenção para o pronto retorno
ao mundo espiritual que poderá ser ou não ainda na Aruanda e ou sistema
solar que habitava anteriormente aonde receberá novas missões.



Como já descrito assim que ocorre a permissão inicia-se a preparação para o
desencarne.



O primeiro passo é a preparação da passagem que deverá ser acompanhado por
um Orixá que na Umbanda é chamado por Obaluayê como também de o Senhor das
Passagens. Conjuntamente o colegiado dos antepassados é recomposto para o
auxiliar principalmente enquanto houver alguma resistência de aceitação pelo
espírito.



O segundo passo é auxiliar o espírito a se livrar do seu corpo carnal. Nesse
momento é avaliada a condição física do seu corpo material e se estiver em
condições não satisfatórias é retirado dele por mistérios divinos a
capacidade de se autocurar bloqueando acima de tudo seu sistema imunológico
deixando-o sujeito a doenças oportunistas. Nesse momento é retirada
igualmente e gradativamente sua consciência e será sempre amparado por seus
antepassados. Pode ocorrer que o doente não reconheça seus parentes
encarnados e mencione seguidamente a presença de entes já desencarnados.



Chegado no momento crucial para o desencarne,ação esta determinada pelo Orixá Omulu,o Senhor da Morte(ou do final de um ciclo), que culmina sempre com a
aceitação do espírito revelada com uma comunicação mental aos antepassados e
aos mentores, ocorre o bloqueio do Alento Divino, ou A Grande Respiração
como também é conhecido o sopro divino, que provoca a parada de qualquer
atividade física enquanto o espírito ainda auxiliado pelos amigos
desencarnados recolhe ou condensa todos os corpos agrupados e ou
pertencentes ao seu mental e emocional, corpos que trouxe da vida anterior
ou adquiriu nessa sua encarnação atual.



Assim que consegue o espírito gradativamente vai se elevando do corpo
material permanecendo com seu corpo espiritual ainda preso a ele com um
cordão prateado na altura do seu plexo solar situado logo abaixo do seu
chacra cardíaco. É a sua ligação não mais com seu corpo físico, mas com sua
alma que será recolhida e conduzida pelos mentores assim que o Orixá
considerar adequado. É que nessa fase gradativamente o espírito vai se
sentindo confuso e desorientado dependendo logicamente do seu nível
consensual. Observando que o espírito já se encontra ( embora dando sinais
de confusão mental e ou emocional ) em condições do desenlace total com
aquele esquecimento necessário para proteção do ser que também ocorre quando
é reencarnado, o Orixá Omulú determina o pronto afastamento dos antepassados
e dos seus mentores para que não interfiram através do apego que sentem pelo
espírito que inicia seu retorno ao mundo espiritual. Abre-se assim o Portal
Cósmico correspondente do sistema solar ou camada vibratória para onde será
encaminhado e quase sempre diretamente para um hospital ou escola de
determinada Aruanda previamente designada para recebê-lo.



Antes de descrever o que ocorre nesse exato momento vou fazer um adendo para
a condição de que quando o espírito cuidou de seu corpo físico como um
templo sagrado deixando-o em ótimas condições físicas na hora do desenlace.
Nesse caso simplesmente quando chegou o momento crucial, com a presença dos
antepassados e dos mentores o espírito é levado ao sono inexplicável que o
obriga a sentar-se ou deitar-se e durante o sono tranqüilo em que é
acometido assim que ocorre a diminuição do ritmo cerebral ideal e natural
quando no sono profundo é realizado o desencarne conforme descrito
anteriormente, sem dores ou sofrimentos e conforme seu consensual sem
confusão mental e ou emocional.



Para as duas situações assim que é cortado o cordão prateado ocorre a
retirada e o transporte da alma, e incontinente o espírito é colocado diante
do portal cósmico correspondente aos seus méritos independente de serem
positivos ou negativos.



Nesse local é dado um tempo de 49 dias para que se acostume com a transição.
Nesse período quase sempre os mentores conseguem que ele seja levado
periodicamente em sessões de cura nos hospitais e ou aprendizado escolar
procurando evitar que seja corrompido por entidades malévolas ou sofra os
ataques de trabalhos magísticos de magia negra.



Essa condição está muito ligada de como o espírito se comporta
emocionalmente nessa fase de espera. Também ainda é dada ao espírito a
oportunidade de sentir detalhes das coisas que deixou para trás como também
sentimentos ligados nas pessoas que manteve quando encarnado por alguma
afinidade positiva ou negativa e quem sabe ainda através do arrependimento
sanar alguma diferença com essas criaturas que permaneceram encarnadas.



Enquanto espera no bocal do Portal Cósmico durante esse tempo de 49 dias
chamado de nojo ou luto, ele tem a sensação vibratória de uma intensa luz
branca (durante os primeiros sete dias do seu falecimento? )que forma uma
espécie de túnel de atração.



Depois de decorrido os sete dias têm a sensação vibratória correspondente a
uma caminhada lenta para dentro do túnel e as cores se alternam conforme vai
sendo restaurado a sua capacidade mental e emocional que sinalizam
vibratóriamente no consensual seus erros cometidos e seus acertos. Os
acertos sendo positivo são de cores claras e os erros de cores escuras.
Ainda se apegando aos erros as cores predominantes são as escuras tornando
seu caminhar tenebroso e com atitudes apreensivas. Com isso seu mentor ou
mentores se desdobram nos cuidados levando-o para hospitais e escolas
mantendo-o também alerta para não ser usados pelos espíritos trevosos
manipulados por entidades de poder na magia negra e ou sacerdotes com a
mesma capacidade.



Se cair na teia dessas maldosas criaturas mesmo sendo encaminhado para uma
Aruanda poderá ficar com sinais cabalísticos de formação vibratória negativa
que através deles o deixará como sendo um servidor dessas entidades ou
criaturas e a qualquer hora poderá ser arrebanhado em missões que o coloque
como a todos de seu tronco familiar em perigo.



Por outro lado se o seu apego for para os seus acertos sua caminhada será
orrespondente a vibrações de cores claras que ajudam a visão vibracional de
planos concisos e precisos que acabam por encurtar esse período de quarenta
e nove dias.



De sete em sete dias o espírito é avisado e doutrinado pelos planos acima
que acabamos de mencionar.



É nesse túnel de luz que ele terá as ultimas oportunidades de olhar para
trás quase sempre até aos 21 dias do seu falecimento e nunca além desse
período limite. Dependendo do propósito que assim faz poderá melhorar seu
karma quando da sua entrada ou piorá-lo quando chegar na Aruanda. Eu como
Pai Inácio nunca deixei que meus tutelados nesse período criasse a
necessidade de usar dessa prerrogativa. Ir sempre em frente nessa fase é a
melhor oportunidade de que no futuro possam eles se comunicar com seus
familiares.



Como leva consigo acoplado ao seu corpo mental sentimentos morais, o
espírito nesse túnel terá a sensação também correspondente de imagens ou
símbolos que se relacionam com sua moral elevada ou deturpada e com isso
poderá ser agraciado com entidades de luz que se apresentam de forma bela e
graciosa como transvestidos de santos e anjos ou de entidades de formas
rústicas e horrendas como vibrações de origem diabólicas.



No fim desse túnel assim que alcançado, o espírito será recebido novamente
pelo colegiado de antepassados escolhidos para o seu auxilio como sendo uma
despedida antes de ser entregue aos Guardiões Cósmicos da Aruanda designada,
pois serão logo após imediatamente enviados para suas pátrias afins cortando
por um período o contato cuja duração dependerá muito do merecimento do
recém-desencarnado.



Que assim seja ensinado

http://temploumbandistaestreladourada.blogspot.com.br

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguem reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento..."
Joaozinho

paijoaozinho@terreirodavobenedita.com