Horarios De Atendimento

Segunda 20 Hs - Mãe Ana e Pai Pequeno Pai Adilson
Quartas 20 Hs - Pai Ney e Mãe Hosana
Quintas - 20 Hs - Pai Afonso e Mãe Gislaine
Sextas 20 Hs - Mãe Sueli e Pai Joaozinho
Sabados 19 Hs - Mãe Sueli e Pai Joaozinho


Primeira Terça Feira - 20 Hs - Desenvolvimeto
Segunda Terça Feira - 20 Hs - Palestra
Terceira Terça Feira do mês - 20 Hs - Gira de Cura
Quarta Terça Feira do mês - Gira Cigana

Endereço - Rua Meciaçu 145 Vila Ipe - Campinas SP


domingo, 23 de outubro de 2011

As Sete lagrimas de um Exu.


Em anos trabalhando na Umbanda, com muita honra junto ao Senhor Rei das Sete Encruzilhadas, durante os trabalhos em apenas duas vezes eu o vi chorar.

Em atendimento a pessoas que nos procuram, ele sempre dando palavras de incentivo, de força, de carinho... mas no fundo me veio uma angustia , uma tristeza muito forte, sentimento esse passado a mim por ele.

Apos algumas semanas nesses dois casos fiquei sabendo que os problemas dessas pessoas eram mais graves do que parecia. Ele lógico já sabia, mas nunca iria desanimar essas pessoas, já tão magoadas pela vida. Essa é nossa principal missão, escutar e dar força aos que necessitam, mas não intervir na vida de cada um, isso é o LIVRE HARBITRO.

Em pensamento após isso, ele me mostrou esse acontecido:

Estava Senhor Sete sentado a pensar na sua historia, eu sua missão, nas vidas passada, nas missões cumpridas e as não cumpridas.

Veio ao seu encontro Pai João, preto velho esse que trabalha junto ao Senhor Sete, dando-lhe as missões a serem feitas.

Perguntou o Preto Velho:

- O que esta te aperriando Sete?

-Estou a pensar em minha historia querido Pai...

- Pense reflita todos precisamos de vez em quando fazer um balanço de nosso caminho.

Nesse momento cai a primeira de sete lagrimas...

Pai João com sua bondade, sabendo que ate mesmo o Rei dos Exus precisa de uma palavra para ter força e seguir em frente pergunta:

- Quer me falar dessas lagrimas filho amado?

- Sim Pai, pois talvez eu não seja tão forte e correto como pensas...

- Então me fale...

-A primeira é por pensar em minhas vidas passadas, como eu poderia ter sido mais feliz, como eu poderia dar mais valor a minhas famílias e a coisas simples que Oxalá me deu...

-A segunda é por ver que tantas pessoas que nos procuram hoje nos terreiros estão indo para o mesmo caminho...

-A terceira é ver tantas famílias que também nos procuram nos trabalhos com problemas em casa, mas percebo que ali já não existe mais o amor, casa um esta pensando em suas necessidades, suas vontades, esquecendo muitas vezes que nessa família, alem dos dois, marido e mulher, sempre tem crianças, que sofrem muito com essas situações e muitas vezes ficam ate doentes fisicamente para tentar unir os pais. esse é uma lagrima muito dolorosa...pois crianças não merecem passar por isso.

-A quarta é por ver esse religião que nos alistamos para trabalhar e que é tão linda e forte ser usada por médiuns de má índole, que querem se aproveitar de situações difíceis das pessoas para enriquecer sem escrúpulos.

-A quinta é por saber que nossa missão é muito grande e importante, isso não me amedronta, o que me amedronta é saber que o tempo esta se encurtando e muitas almas ainda precisam de nós.

-A sexta é por ver a omissão de tantas pessoas, médiuns ou não que poderiam de alguma forma ajudar a quem precisa, mas por comodidade, ganância, falta de informação ou outras coisas do tipo não o fazem...

- A sétima, essa sim pai, é a que mais me incomoda.

- Me conte filho...

- Sinto no fundo de minha alma, que ainda existe um ponta, um resquício do que fui em outras vidas, da pessoa vingativa, má, sem pena de nada e de ninguém, uma pessoa furiosa. Meu medo é que por ver tanta coisa errada acontecendo essa pontinha do que eu era, tome conta de mim clamando por justiça e eu comece a resolver oque me incomoda com minhas próprias mãos pai...desrespeitando assim as leis da Umbanda e de Oxalá.

Pai João olha para o Céu... respira fundo e com a inteligência de sempre responde ao Exu:

- Então filhos tire esse medo de você, esse ”pontinha do seu eu antigo” que esta ai a te aperriar, existe em todos. È mais um sinal que tu estas no caminho certo, pois se não fosse assim você estaria a trabalhar na Umbanda apenas por trabalhar...e não com a vontade e o desejo de ajudar a melhorar as pessoas e o mundo.

Exu se levanta, respira fundo, se refaz e diz:

- O senhor esta certo Pai, mais uma vez obrigado pela confiança e por me deixar trabalhar ao teu lado. Agora me vou preciso “TRABALHAR” !!

- Vai com Oxalá filho...

Assim o Exu se fortaleceu mais ainda e esta por ai a lutar por todos nós!!

João Carlos Galerani Jr

Dirigente Terreiro da Vó Benedita

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguem reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento..."
Joaozinho

paijoaozinho@terreirodavobenedita.com