Horarios De Atendimento

Segundas - 20 Hs - Pai Eric e Mae Ana - Casa de Caridade Itapua

Quartas 20 Hs - Pai Ney
Quintas - 20 Hs - Pai Douglas e Mãe Danielle
Sextas 20 Hs - Mãe Sueli e Pai Joaozinho
Sabados 19 Hs - Mãe Sueli e Pai Joaozinho

Segunda Terça Feira - 20 Hs - Palestra e Desenvolvimeto
Terceira Terça Feira do mês - 20 Hs - Gira de Cura (Fechada)
Quarta Terça Feira do mês - Gira Cigana

Endereço - Rua Meciaçu 145 Vila Ipe - Campinas SP


terça-feira, 2 de agosto de 2011

Gira de terreiro


Há dois tipos de sessões ou giras : de desenvolvimento e de trabalho ou caridade. As giras de trabalho são sessões públicas, onde os guias incorporam nos médiuns para atender ao público.

As giras de desenvolvimento servem para que os membros da corrente tirem suas duvidas, aproveitem para falar com algum guia, pois nos trabalhos normais não tem esse prazer, mas principalmente servem para que os mais novos da corrente se desenvolvam com mais sossego e atenção dos mais antigos, por isso são giras fechadas, pois outra situação com os mais novos, e um certo constrangimento que no começo sentimos.

Quando você entra num terreiro de Umbanda, você estará pisando num local sagrado, num templo, e cheio de energias, portanto a primeira coisa que se deve fazer é praticar o silêncio e a meditação. Lembre-se também que num terreiro muitas energias são usadas, portanto evite o excesso de metais no corpo (colares, pulseiras, relógios).

As giras podem variar de terreiro pra terreiro, sendo que cada terreiro determina os dias e o horário, mas em geral podemos padronizar as giras da seguinte forma:

Despachar Exu – antes de começar (abrir) a gira são cantados pontos para os exus, afim de que estes entrem no terreiro (não há incorporação nessa parte) e retirem todos os pontos negativos, inclusive retirando os zombeteiros (exus não doutrinados para trabalhar e ajudar) e protegendo a porta (porteira) de cada pessoa, uma vez que deixaram suas casas para estar no terreiro.

Abertura da gira – Começa com o ponto cantado de Abertura de Gira e são feitas as saudações a Oxalá e Nossa Senhora Aparecida (Padroeira do Brasil) a todos os santos, inclusive os de Igreja. Em alguns centros é cantado o hino da Umbanda, em outros o hino é deixado pro final.

Muitos terreiros utilizam uma cortina para o congar, quando há a abertura da gira é aberta a cortina. Depois da saudação, são puxados os pontos de cada orixá e entidade, sendo que o primeiro ponto é de Oxalá.

Enquanto são cantados os pontos, velas são acesas no congar, a atenção fica por conta do Ogan, que deve acompanhar os pontos com o ponto firmado pela vela.

Todos os médiuns acompanham com palmas em seus lugares na corrente que se formou.

A Oração – Quando todas as velas estão acesas e todos foram saudados, então é feita a prece que oficializará a abertura dos trabalhos. Essa prece é feita com um Pai-Nosso e uma Ave-Maria seguida de um pronunciamento de fé do Pai ou Mãe de Santo. No momento da oração, todos devem estar ajoelhados e nenhuma atabaque toca O silêncio e a concentração na hora da oração é impressindível.

Defumação – Logo após a oração vem a defumação. A defumação é feita nos quatro cantos do terreiro, no congar, na guia da Mãe/Pai de santo, passando pelos mesmos, daí segue a corrente : Médiuns, fiscais e auxiliares, assistência.

Bater cabeça – Esse é o ato submissão em que nos abaixamos diante de Jesus e todos os orixás, pedindo sua proteção. O médium se abaixa e toca suavemente a testa no chão, sim suavemente, mostrando respeito pela terra que toca e sendo humilde ao se abaixar diante de Deus.

Em primeiro lugar são os pais de santo, depois pai e mãe pequeno do terreiro, seguidos dos médiuns, cambones e tabaqueiros. O ponto de bater cabeça é tocado, porém existe um ponto especifico para a Mãe/Pai de santo e outro para os demais. Existe uma certa variedade em torno dos pontos a serem firmados conforme a ordem, vejamos :

1) Os médiuns batem cabeça : No congar, depois em direção a tronqueira, atabaques e por último ao Pai/Mãe de Santo.

2) Os médiuns batem cabeça : No congar, depois em direção as atabaques, tronqueira e por último ao Pai/Mãe de Santo.

Essa variação entre atabaque e tronqueira vai depender de terreiro para terreiro.

Após o ato de bater cabeça, todos estão prontos para receber os orixás.

Os trabalhos ( A incorporação, passes, consultas) – São chamadas as linhas que virão para trabalhar nesse dia, em muitos terreiros há a separação do passe da consulta, ou seja, virá uma linha para dar o passe e depois uma outra só para a consulta. Essa é, sem dúvida, a parte mais longa da gira. Se for dia de homenagem a algum orixá, a homenagem será antes dos passes e das consultas.

Nem tudo é apenas paz e amor. As sessões em que os pretos-velhos, caboclos, crianças, boiadeiros, baianos ou marinheiros descem para fazer o bem, ajudar as pessoas, contrapõem-se outras práticas que recebem o nome de DEMANDA.

Muitas vezes os problemas que as pessoas enfrentam (desavenças familiares e conjugais, doenças, dificuldades nos trabalhos, etc) são atribuídas à inveja, e mais concretamente, a trabalhos que seus inimigos encomendam a determinados espíritos. Os guias de luz não aceitam esse tipo de solicitação, geralmente creditada a Exus e Pombas-Giras zombeiteiros, espíritos pouco evoluídos que, em troca de oferendas, não hesitam em fazer o mal. Sabemos que esses exus e pomba giras que aceitam esse tipo de *serviço* são chamados de zombeteiros.

Para enfrentar essas demandas é preciso pedir ajuda às entidades que só trabalham na direita, que irão coordenar os exus que são doutrinados e que trabalham no terreiro para o bem. A Linha de Ogum, que ostenta o título de “Vencedor de Demanda”, é a mais solicitada, uma vez que Ogum é Chefe de Exu e orixá da Direita.

Os despachos nas esquinas, por conseguinte, constituem formas de manifestações e tentativas de resolução dos conflitos que são transpostos para a esfera dos espíritos, encarnados por intermediários.

O Fechamento – Após o atendimento, é feito o fechamento com uma oração (Pai-Nosso e Ave Maria e um pronunciamento de fé sobre o trabalho) que oficializará o fechamento dos trabalhos e da corrente. Muitos terreiros utilizam uma cortina para o congar, quando há o fechamento da gira é fechada a cortina.Após a oração é cantado um ponto de fechamento de giras (trabalhos). Assim é dado os trabalhos por encerrado nesse dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguem reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento..."
Joaozinho

paijoaozinho@terreirodavobenedita.com