Horários De Atendimento

Segundas - 20 Hs - Mãe Ana e Pai Afonso.
Quartas - 20 Hs - Mãe Hosana e Pai Ney.
Quintas - 20 Hs - Mãe Gislaine e Pai Afonso.
Sextas --- 20 Hs - Mãe Sueli e Pai Joãozinho.
Sábados - 19 Hs - Mãe Sueli e Pai Joãozinho.

Primeira Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira de Desenvolvimento.
Segunda Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira da Corrente do Dr. Adolfo Bezerra de Menezes.
Terceira Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira de Desenvolvimento.
Quarta Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira Cigana.
Quinta Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira Fechada.

Primeiro Sábado do mês - 15 Hs - Jardins de Aruanda.

Endereço - Rua Meciaçu 145 Vila Ipê - Campinas SP.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Vocabulário

Êpa Babá – saudação ao Orixá Oxalá significando: olá, com admiração e espanto, ao ancestral dos ancestrais;

Okê! Okê Arô! – saudação ao Orixá Oxossi significa Autoridade, rei, que fala mais alto, ou seja salve o Rei que é aquele que fala mais alto.


Ogum iê! – saudação ao Orixá Ogum, significando salve Ogum


Epa Hei – saudação a Orixá Iansã e significa falar com espanto Olá. Esse espanto de grandeza de admiração ao ver o Orixá e dizer a ele Olá Iansã, Olá Oiá.


Ora Aie Ie o – Aieieo – Saudação a Orixá Oxum e significa salve a benevolente mãezinha.


Odoia ou Odociaba – saudação a Orixá Yemanjá e significam Mãe das águas


Atotô – saudação para o Orixá Omolu, significando "Silêncio! Ele está aqui!"


Saluba Nanã– saudação a Orixá Nanã Buruquê, cujo significado é: “nos refugiamos em Nanã”


Babaê – saudação que fazemos aos Pretos-velhos, e significa salve nossos ancestrais, salve o nosso pai.


Kaô kabecilê! (ou Kaô kabecilê obá) – Saudação ao Orixá Xangô que significa - venham ver (admirar, saudar) o Rei (Alteza) da Casa


Mukuiu – é um pedido de bênçãos (para a nação Bantu) a resposta é Mukuiu NZambi (ou seja que Deus te abençoe); Neste mesmo sentido encontraremos entre os nagôs (língua yorubá) a palavra Motumbá, e a resposta é Motumba Axé. Para os Jeje o pedido de benção será Kolofé e a resposta Kolofé Olorum.


Laroiê, Exu! Exu é mojubá! - Mensageiro, Exu! Exu a vós meus respeitos!


Mojubá – significa respeito, os meu respeito. Uma saudação em que a pessoa externa seus respeitos a outra pessoa, orixá ou entidade.


Iná – Fogo, fogo que irradia luz. Por isso em alguns pontos cantados encontraremos este termo

Gestos cheios de sentido


Nós umbandistas possuímos uma série de gestos e cumprimentos que sempre são cheios de significados.Desde o primeiro momento desta vida, que entrei para a Umbanda me questionei e procurei saber porque se cumprimenta e se faz aqueles gestos. Como sempre falo, não existe nada em nosso ritual (ritual de nosso Terreiro) que não tenha um significado e que o mesmo seja desconhecido.Talvez por minha formação, talvez por meu espírito excessivamente questionador, não costumo aceitar fazer e refazer ações sem saber o porque estou fazendo-as. E isso passo para todos os membros de nossa casa e para todos que encontro.
Estes gestos e cumprimento passo a postar em nosso Blog a partir de hoje.Para começar quero falar do Bate a Cabeça. No início de nossos trabalhos todos os médiuns batem a cabeça enquanto entoamos um ponto cantado:
"Bate a cabeça filho de Umbanda

Bate a cabeça filho de fé"

e em seguida:
"Para você que é filho de pemba,Para você que é filho de Fé

Vamos bate essa cabeça e peça a Deus o que quiser."
Assim os membros da corrente batem a cabeça em cima dos seus "panos de cabeça" ou diretamente no chão, enquanto a hierarquia passa saudando a todos com o adjá. Este gesto que acontece logo no início de todas as giras não pode e não deve ser um ato mecânico.É um gesto de muito comprometimento e devoção. Afinal, quando batemos a nossa cabeça é o mesmo que aceitarmos, nos subordinarmos à vontade Divina, à vontade dos Orixás, e assim à Lei da Umbanda. Bater a cabeça é aceitar e compreender que estamos todos subordinados à uma Lei Maior e com Ela concordamos. Também é um ato de submissão, uma demonstração de humildade em relação aos Orixás, aos Guias e à Umbanda.Ainda é um ato de renovação de nosso compromisso com a Umbanda, um compromisso com a caridade e como esta religião é o caminho que escolhemos para a iluminação de nosso espírito e daqueles que nos circundam.E diante deste ato em que nos postamos abaixados, temos um momento em que pedimos algo para os nossos Orixás, proteção, luz, enfim, um momento de comunhão com as emanações de Deus para nossos pedidos.Como se pode ver não batemos a cabeça sem um sentido claro e muito profundo.Em nosso Terreiro também batemos a cabeça toda vez que desincorporamos as entidades. Este ato também tem um significado parecido com o anterior, no entanto, mais concentrado no guia que acabamos de receber. É assim um pedido de obrigado por podermos ter sido instrumentos naqueles momentos, e renovarmos nossa intenção de continuarmos sendo aparelhos dos guias e protetores da Umbanda. Ao mesmo tempo faz com que nossos chakras voltem a trabalhar na intensidade normal, comum ao nosso ser.Como podemos ver, todo gesto tem uma razão, e o bate a cabeça não foge a esta regra. Da próxima vez lembre-se de que batendo sua cabeça você está fazendo tudo o que colocamos, concorde com isso e faça-o com respeito e dedicação.Saravá o bate a cabeça! Saravá o Orixá de cada um de vocês!


PERGUNTAS E RESPOSTAS


· Por quê não podemos usar as roupas que são usadas nas giras em nosso dia-a-dia?
Não é que não podemos, mas devemos evitar ao máximo. Veja as roupas para a gira são feitas de algodão. Um tecido orgânico e como tal absorve e conserva energia. Se vc usa a roupa para ir a um bar, a uma churrascaria e depois vem usar a mesma roupa para a gira fica algo meio estranho não acha? Temos que lembrar que as roupas fazem parte de nossa vestimenta ritualística e como tal deveríamos tratá-las para que possam sempre ser utilizadas para um fim sagrado.

· Se uma pessoa se compromete a participar da gira, ao mesmo tempo há um espírito se comprometendo com o grupo espiritual do terreiro?
Antes da pessoa sequer saber que irá se comprometer com um Terreiro as entidades (guias e protetores) desse médium já estabeleceram contato com o grupo espiritual do Terreiro. Aliás muitas vezes esse compromisso já se deu antes da encarnação dos médiuns.

· Caso fosse possível ao nosso conhecimento, vc poderia explicar como ocorre a incorporação de entidades na gira, é sempre a mesma entidade para a mesma pessoa?
A incorporação em uma gira se dá da seguinte forma: (explicação simplificada, este tema será abordado posteriormente com mais detalhes). A entidade (espírito) se aproxima do médium e começa a estabelecer um contato energético, ou seja o médium sente a aproximação de uma energia que começa a ativar seus chakras. Imediatamente depois há um contato mental, a entidade começa a aproximar da mente do médium para que ele possa executar seus comandos. Assim, com a mente envolvida e o médium "abraçado" com a energia da entidade, começa-se a buscar a interação dos chakras do médium, para vibrar mais próximo possível da entidade incorporante. Por isso, a mente do médium deve ter uma atitude passiva, abster-se ao máximo de pensamentos sensoriais, de ficar observando e julgando os outros médiuns, se concentrar na energia e na música, com uma atitude ativa para se interar da evocação produzida naquele momento. Se a mente estiver ocupada com os problemas do dia-a-dia, estiver julgando os demais médiuns, estiver solta nas fantasias de nossas vidas, ficará mais difícil que a entidade estabeleça o contato conosco. Por isso, também é que o médium deve procurar sempre superar seus vícios e seus erros. Quanto mais amor a pessoa (médium), vibrar e emanar, mais fácil será uma entidade da umbanda incorporar, pois mais próxima da vibração desses guias e protetores o médium estará. O egoísmo, a vaidade, o orgulho, são sentimentos que nos afastam, e dificultam uma incorporação mais nobre e pura. A segunda parte da resposta é não. Nem sempre é a mesma entidade. Muitas vezes, alguns espíritos incorporam nos médiuns de forma casual. Uma para que esses médiuns aprendam a diferenciar energias, outras para que possam usufruir de uma certa vibração que ajudará a equilibrar os chakras e educá-los, para que outro guia possa estabelecer seu contato, ou por fim, há algumas situações de trabalho na gira que precisam de certos falangeiros incorporado para a execução correta do serviço. Entretanto, com o tempo o médium estabelecerá contato mais íntimo com uma entidade de cada linha, sendo esta a que permanecerá mais tempo incorporada, e se for ocaso a que dará as consultas.

· Como evitar que o ceticismo, interfira no nosso desenvolvimento?
Dando um antídoto. Qual o antídoto a fé. Alimentar nossa fé, criar raízes para que ela não esmoreça e não seja apenas um ato emocional. Trabalhar para que a nossa mente, o nosso raciocínio garanta a estrutura para a nossa fé. Pois assim além de acreditarmos nos Orixás, nós saberemos de sua existência. Por isso não devemos temer nossas dúvidas, devemos expô-las para que solucionadas elas deixem de nos incomodar. Se nós a subestimamos, em um momento de fraqueza ela irá nos aborrecer. Cético é aquele que não procurou saber, se acomodou, pois sempre a todo momento ele se depara com situações maravilhosas, coincidências felizes, mas ao invés de tentar encontrar uma explicação para aquilo ele tenta negar. O esforço é o mesmo, um para confirmar outro para negar.

· Como saber se quando estamos de "baixo astral", é um problema espiritual, mental ou orgânico?
Sempre teremos nossa parcela de culpa e responsabilidade. Assim, de nada adiantará falarmos que nossa depressão ou baixo astral é influência espiritual. Pois, de alguma forma fomos responsáveis pela aproximação daqueles espíritos que estão nos prejudicando. Assim, a receita de Jesus Cristo é a única vacina "Orai e vigiai!". Além, é claro, de uma postura de amor e de caridade. Mas existe como diferenciar se é por essa ou por aquela razão?Primeiro temos que entender que independente da primeira causa, logo em seguida teremos o conjunto delas. Isto é, se o motivo foi nosso pensamento que nos jogou para baixo, logo em seguida, pela nossa vibração receberemos a vista de irmãos espirituais que vibram nessa intensidade, que por sua vez permitem que espíritos que desejam nossa derrota, aproveitem a oportunidade para nos jogar ainda mais para baixo. Assim, nosso pensamento baixo, recebendo e vibrando essa energia, nosso duplo etéreo começa a acumular essa energia deletéria (miasmas e larvas astrais) promovendo, em nosso aparelho biológico a patologia.De tal sorte, que para promovermos a cura desse estado, devemos tratar sempre os três, com maior ênfase na mente e nas influências espirituais. Ou seja, promover a desobsessão ou o reequilíbrio espiritual e energético, acompanhado de uma mudança de pensamentos e de vibração e assim, de uma postura de vida da pessoa. Caso o aparelho biológico já tenha sofrido, devemos auxiliar o tratamento com remédios (médico da Terra), ervas, banhos, defumações, etc.

· Os médiuns e as pessoas "comuns", apesar do livre arbítrio estão sempre sujeitos à influências dos espíritos, bons ou maus?
Apenas, os médiuns são influenciados pelos espíritos. No entanto, segundo Allan Kardec, todos os seres humanos são médiuns. Acredito que quando nos referimos a médiuns, falamos daqueles que poderão trabalhar essa faculdade, criando um intercâmbio inteligível. No entanto, mesmo as pessoas que não possuem uma mediunidade dessa forma, podem sentir a presença e assim serem influenciadas pelos espíritos.Mesmo aqueles ditos não médiuns, que nada sentem de influências espirituais poderão sofrer a influência uma vez que são da mesma essência. Assim, nos sonhos poderão ser carregados pelos espíritos, e mesmo os acontecimentos no entorno dessa pessoa podem influenciá-la. Desta forma, todos somos, mais ou menos, influenciados pelos espíritos.

· A mediunidade no espiritismo e na Umbanda são Iguais? e a minha dúvida é sobre o fato de os médiuns girarem no memento da incorporação; Por que isto ocorre?
A mediunida é uma coisa só, seja na Umbanda, no Espiritismo, ou em outrasreligiões espiritualistas. Assim os estudos da doutrina de Kardec ajudammuito a compreendermos os fenômenos mediúnicos. Também acho a coleção - Avida no mundo espiritual - do espírito André Luiz pelas mãos iluminadas deChico Xavier são leitura obrigatória. Entretanto há certamente algumaspeculiaridades nas manifestações da Umbanda. Isto pois as manifestações noespiritismo são essencialmente mentais, ou seja, ocupam um espaçoenergético determinado, a mente. Raras são as vezes que as manifestaçõesno espiritismo utiliza o corpo todo. Mesmo nas manifestações dematerialização essas manifestações são preponderam]ntemente mentais.Pela natureza dos trabalhos da Umbanda os médiuns devem ativar os demaischakras, devem, logicamente, ter a manifestação mental (a maisimportante), mas é necessário a movimentação de todos os chakras, poisestaremos manipulando de forma não velada a matéria. Assim há umautilização mais intensa do ectoplasma (ectoplasma é a energia que todos osseres encarnados possuem e que nos médiuns há a produção maisquantificada). Desta forma a incoporação deve acionar o movimento, o corpoe deve conseguir liberar quantidades massivas de ectoplasma. assim muitosmédiuns precisam girar para que haja um pequeno deslocamento de seuduplo-etéreo de seus corpos físicos para que esta usina de ectoplasma sejaativada. Entretanto isto não é obrigatório, algumas pessoas não têm estanecessidade. Mas, sempre haverá movimento do corpo, pois todos os chakrasdevem estar ativados pela inteligência espiritual para que o trablahomediúnico de Umbanda aconteça a contento. Quando uma entidade de Umbandavem para nos dar um recado, ou para ministrar algum ensinamento não haveráa necessidade de movimento, uma vez que neste caso a manifestação seamental e não necessitará manipular elementos para a magia de Umbanda que éa transmutação de estados psíquicos e espirituais além da própriatransmutação material (materialização e desmaterialização).

· A incorporação de Trevosos, o médium deve "segurar" ao máxino a entidade ou deve deixar ela manifestar (dentro de limites, é claro) a periculosidade e sua natureza?
O médium deve se concentrar em ser um canal para que a energia dos guias edos Orixás entrem em contato com o trevos, kiumba, etc. O objetivo na Umbanda desta incorporação de irmãos que estão afeitos ao mal é criar uma ponte entre a luz dos Orixás e sua natureza trevosa. Isto é, o objetivo é mais energético e magístico do que doutrinário. Em alguns casos há a união da doutrina e dos ensinamentos com a magia. Mas mesmo assim o maisimportante é permitir que aquela entidade que antes estava absolutamentefechada para não ser impactada com a luz, consiga ser abençoada pela forçadivina.assim a questão de se segurar fica subordinada ao objetivo da incorporaçãodestes irmãos.Acredito que devamos segurar a entidade naquilo que não trouxer benefíciopara ela ou para a gira. se alguma manifestação dela facilitará ointercâmbio e a concretização do nosso objetivo podemos permitir desde quedentro de padrões de segurança como vc citou

- Por que certas pessoas (médiuns) necessitam com frequência, realizar entrega de ebós, para que suas vidas fluam mais normalmente?
Cada caso é um caso e não há uma resposta padrão para a sua pergunta.Acredito que todos os médiuns de Umbanda deveriam fazer entregas aos seusOrixás. As entregas proporcionam a manipulação de matéria para a proteçãoe a fortificação dos médiuns.

Reflexões de Umbanda

Clique na Imagem para ampliar


O que é Orixá?

Clique na imagem para ampliar.



Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguem reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento..."
Joaozinho

paijoaozinho@terreirodavobenedita.com