Horários De Atendimento

Segundas - 20 Hs - Mãe Ana e Pai Afonso.
Quartas - 20 Hs - Mãe Hosana e Pai Ney.
Quintas - 20 Hs - Mãe Gislaine e Pai Afonso.
Sextas --- 20 Hs - Mãe Sueli e Pai Joãozinho.
Sábados - 19 Hs - Mãe Sueli e Pai Joãozinho.

Primeira Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira de Desenvolvimento.
Segunda Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira da Corrente do Dr. Adolfo Bezerra de Menezes.
Terceira Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira de Desenvolvimento.
Quarta Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira Cigana.
Quinta Terça-Feira do mês - 20 Hs - Gira Fechada.

Primeiro Sábado do mês - 15 Hs - Jardins de Aruanda.

Endereço - Rua Meciaçu 145 Vila Ipê - Campinas SP.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Comissão vai à ONU acusar Universal de intolerância religiosa

da Folha de S.Paulo, em Brasília
A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa entregou ontem ao presidente do Conselho de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas), Martin Uhomoibai, e à Secretaria de Promoção da Igualdade Racial relatório que diz existir uma "ditadura religiosa" promovida pelos neopentecostais no Brasil.
O documento aponta a Igreja Universal do Reino de Deus como propagadora da intolerância religiosa no país, incitando a perseguição, o desrespeito e a "demonização", especialmente da umbanda e do candomblé.
O documento relata 15 casos atendidos pela comissão que se transformaram em 34 ações judiciais no Rio de Janeiro, além de três vítimas que vivem ameaçadas e outros 10 casos de intolerância religiosa em outros quatro Estados.
Há ainda um capítulo que trata do conflito entre neopentecostais e imprensa, que cita reportagem da Folha sobre o império econômico construído pela Igreja Universal. "A Igreja Universal do Reino de Deus, copiada por outras independentes, vem tentando intimidar a imprensa livre. Centenas de ações judiciais são movidas contra veículos de comunicação e profissionais da área", diz o relatório, referindo-se a mais de uma centena de ações na Justiça movidas por fiéis contra o jornal. Até agora, houve 74 sentenças, todas favoráveis à Folha. Em 13 casos, os juízes condenaram os autores por litigância de má-fé -quando se faz uso indevido da Justiça.
A Folha telefonou para a assessoria jurídica da Igreja Universal em São Paulo, que solicitou um e-mail com as perguntas. Até a conclusão desta edição, não havia resposta.
A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, formada por 18 instituições, como a Federação Israelita do Rio e a Congregação Espírita Umbandista do Brasil, pediu para a ONU fazer o seu próprio diagnóstico sobre as denúncias.
"Não estamos perseguindo ninguém, mas mostrando que a democracia corre risco. Estamos sendo demonizados em programas de rádio e TV", afirma Ivanir dos Santos, presidente da comissão.
Segundo Ronaldo de Almeida, antropólogo da Unicamp, a Igreja Universal cresce combatendo outras religiões. Autor do livro "A Igreja Universal e seus Demônios", ele defende que a igreja fortalece seu discurso a partir da relação que estabelece entre religiões afro e problemas financeiros ou na família. "Seu discurso fica mais forte se demonizar os outros. Há, de fato, uma intolerância religiosa", explica Almeida.
O uso da mídia por grupos dentro da Igreja Universal é destacada por Ricardo Mariano, doutor em sociologia pela USP. Para Mariano, os veículos são utilizados para atacar outras religiões. O sociólogo discorda, porém, do viés racista apontado pelo relatório. Segundo o professor, a atitude adotada pela Igreja Universal é motivada por questões estritamente religiosas.
O subsecretário de Políticas para Comunidades Tradicionais da Secretaria de Igualdade Racial, Alexandro Reis, diz que o Plano Nacional contra a Intolerância Religiosa será apresentado em janeiro de 2010.

Saravá Povo de Umbanda


Em 18/09/1968 quando se discutia o celibato na igreja católica , a revista VEJA em sua 2ª edição afirmava;
“ .... Em 1958 havia 59 centros de Umbanda em Salvador, hoje há mais de 900..... No Rio de Janeiro há 150 templos católicos e mais de 3 mil centros de Umbanda.” Era a igreja católica se preocupando com o crescimento de nossa religião.

Em 09/10/1968 a revista VEJA e Editora Abril anunciavam em seu periódico “REALIDADE” uma chamada de capa "UMBANDA" Religião de grande parte do povo e é um mistério para muitos”.

Já em 1969 na edição 18ª da VEJA se tem a seguinte noticia: “Na fabula de Sergio Porto (Stanislaw Ponte Preta), o velho rádio era o cego autentico e a TV é o cego fingido que repete, bem fora do tempo, tudo o que o rádio fazia originalmente. Sergio Porto preferia o rádio. Pelo menos, não se tem noticia de que se apresentassem no auditório da Rádio Nacional (RIO), o mais famoso da época, doentes e adeptos de umbanda, em êxtase, como acontece nos shows de um mundo cão Dercy (TV Globo – Rio e Gonçalves SP)"......

Na edição 43º de 02 de julho de 1969 temos um crime praticado por um médium que se dizia milagreiro e uma entrevista de W.W. da Matta e Silva explicando o porque dos maus exemplos de nossa religião.

Os poucos trechos de artigos e matérias que coloquei acima são realmente valiosíssimos para nossa cultura religiosa, fazem parte do acervo da Revista VEJA da Editora Abril que esta disponível no link http://veja.abril.com.br/acervodigital/.
A revista liberou o acervo em comemoração ao seu aniversário de 40 anos. A primeira edição de VEJA foi publicada em 11 de setembro de 1968
Vale a pena conferir, é uma bela viagem na história jornalística, basta clicar em busca avançada colocando o assunto "Umbanda" e você encontrará muito mais sobre nossa religião.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

LINHAS DE TRABALHO NA UMBANDA


As linhas de trabalho na Um­banda, são compos­tas por espíritos que evoluíram e se hierarquizaram, assu­mindo sua missão consci­entemente, para auxiliar o ser humano encarnado e o desen­carnando.
São espíritos com alto grau de conhecimento das leis div­i­nas com uma grande vontade de servir a Deus através de seus semelhantes.
São consagrados mestres, ma­gos, instrutores, guias, ori­en­tadores, conselheiros, pai, mãe, amigo, leal, verdadeiro, de moral elevada, de caráter estável , equilibrados em seu racional e emocional.
São de uma sabedoria profunda porém simples pois já vivenciaram o lado encarnado da vida e já estão no lado espiritual.
Conhecedores e pesquisadores da natureza, dos Tronos, das Divindades, dos Orixás, da criação como um todo.
Eles vieram de diversas culturas, isso quer dizer, que utilizam-se de for­mas de trabalho relacionado à afini­dade de costumes e culturas de outros paises que não só da cultura brasileira.
Em solo brasileiro foi permitido pelo Trono das 7 Encruzilhadas, ter espaço e oportunidade de encarnados e desen­carnados se unirem, trocarem experi­ências e aprendizados, através das co­mu­nicações, este intercâmbio chama­mos de incorporação. Esse mecanismo disposto desde a criação do ser, está gravado em sua centelha original, em seu campo eletromagnético e em seu eixo, são preparados pelas divindades para esses espíritos quando encarnados serem médiuns e os desencarnados evoluídos e preparados para assumir a evolução de outros irmãos.
Quando são destinados a serem guias espirituais, freqüentam “escolas astrais” “colégios” e “cursos de apri­moramento” sobre os mistérios de Olo­rum e aprendem a como se comporta­rem na linha de trabalho que irão se manifestar.

Então temos na
Umbanda Sagrada:

• Caboclo • Cabocla
• Preto Velho • Preta Velha
• Baiano • Baiana
• Cigano • Cigana
• Criança – menino
• Criança – menina
• Boiadeiro • Marinheiro
• Exu • Pomba Gira

E dentro de cada classificação de linhas temos as linhas puras e cruzadas:

Linhas Puras
Ex: Caboclo de Ogum
Nome simbólico:
Caboclo 7 Espadas
Caboclo Peito de Aço
É quando ele se reporta a um
único mistério – Orixá Ogum
Linhas Cruzadas
Ex:Caboclo Gira-Mundo
Caboclo Arranca-Toco
Caboclo Quebra Pedra
Caboclo Pedra Branca
É quando se reportam para mais de um mistério – Orixá.

Quando estes guias espirituais assu­­mem sua missão, junto com o mé­dium cria-se um elo, e aos poucos esses médiuns precisam desenvolver estes dons mediúnicos, procurando um ter­reiro de Umbanda para que as mani­festações sejam acompanhadas junto com o desenvolvimento mental em ques­­tão.
Não existe tempo para começar, basta querer se dedicar com amor e paciência, para que possa ser bem conduzido pelos Sagrados Orixás que regem a coroa deste médium.
Os terreiros são espaços prepara­dos para que possa ocorrer as giras de desenvolvimento com tranqüilidade, pois todos os terreiro de umbanda, acredito eu, tenham suas firmezas e seus assentamentos firmados, essas são as chaves que protegem e guardam as energias dos seus freqüentadores.
Os guias espirituais assumem com o Sacerdote os compromissos perante a espiritualidade, e dentro das hierar­quias, uns assumem o grau de mentor, guia chefe e guia de frente, dando su­porte e sustentação para o sacer­dote poder lidar com as energias nega­tivas ou com as investidas do baixo astral, ou por que não dizendo dos médiuns que chegam com seu templo vivo e seu íntimo carregado de energias nega­tivas. Os guias são espíritos incansáveis doutrinadores, em se tratando do assun­to em questão, estes mesmos guias de Lei não toleram os procedi­mentos errados de seus filhos, são os primeiros a lhe chamarem a atenção, eu não acredito que um verdadeiro guia de Lei possa tolerar tais atitudes, con­tro­versas às leis de amor e caridade.
Talvez seja o fato de não terem mais estrutura mental para que um espírito de luz possa passar suas comu­nicações, aí vem às mistificações, as palhaçadas, que estamos cansados de ouvir, ver ou vivenciar.
Como um guia pode maltratar seus conduzidos? Pode ensinar, repreender, mais nunca humilhar

Justiça manda prender pastor e jovem que atacaram umbandistas

Repassar estas informações
torna-se importante para divulgar
o respeito que deve-se ter com o próximo,
respeito ao "outro".
Respeito a constituição e a Liberdade Religiosa.
O respeito a Umbanda é o mesmo respeito que deve-se ter
Com Evangélicos, Católicos, Candomblecistas, Judeus, Espiritas, Budistas e outros...
RIO - As primeiras prisões no país por crime de intolerância religiosa ocorreram no Rio. Afonso Henrique Alves Lobato, de 26 anos, e Tupirani da Hora Lores, de 43, membro e pastor, respectivamente, da Igreja Geração Jesus Cristo, localizada no Morro do Pinto, Zona Portuária do Rio, foram presos nesta sexta-feira por policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI). A juíza Maria Elisa Peixoto Lubanco, da 20 Vara Criminal, decretou a prisão preventiva dos dois acusados ( assista às imagens da prisão ) .
Tupirani e Afonso Henrique vão responder pelos crimes de intolerância religiosa, injúria qualificada e incitação ao crime. Segundo a delegada Helen Sardenberg, da DRCI, o artigo 20 da lei 7.437, de 1985 - mais conhecida como Lei Caó, que cria sanções para o preconceito contra raça, cor e religião. O crime tem uma pena prevista que vai de dois a cinco anos de prisão. O delito é inafiançável, ou seja, o acusado tem de aguardar o julgamento na prisão ( assista ao vídeo em que o pastor Tupirani defende Afonso Lobato ).
Em março deste ano, com o consentimento do pastor Tupirani, Afonso Henrique divulgou na internet um vídeo em que faz ofensas às religiões afro-brasileiras, às polícias Civil e Militar e à imprensa. No mesmo vídeo, Afonso Henrique diz que todo pai-de-santo é homossexual. O jovem e outros três seguidores da Igreja Geração Jesus Cristo invadiram e depredaram, em junho do ano passado, o Centro Espírita Cruz de Oxalá, no Catete. Os quatro foram presos e condenados a pagar cestas básicas.
Em entrevista ao EXTRA, o pastor Tupirani apoiou a iniciativa de Afonso Henrique em divulgar o vídeo, alegando que o jovem tinha direito à liberdade de expressão. O pastor também postou um vídeo na internet dizendo-se contrário às leis dos homens e desafiando as polícias e as Forças Armadas.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

PRECE PARA XANGÔ


Oh! Senhor dos Trovões.

Pai da Justiça e da retidão.

Orixá que abençoa os injustiçados e castiga os mentirosos e caluniadores.

Defenda, meu Senhor, minha casa, minha família dos inimigos ocultos, dos ladrões e dos mentirosos.

Oh! Xangô rogo-te as vibrações de amor e misericórdia, Pai da dinastia humana, livra-me de todo escândalo.

KAÔ CABECILE!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

UMBANDA é POP?



Deus é pop. Esta é a matéria de capa da revista Época Nº 578, desta semana, 15 de Junho de 2009. Traz ainda uma imagem bem jovem - Jesus estilizado à frente do que parece um muro pichado.
"Foi mais forte que eu" quando vi já estava lendo a matéria,
observado o perfil do jovem religioso e pensando a Umbanda neste contexto.
Na matéria são colocados os dados de uma pesquisa inédita do instituto alemão Bertelsmann Stifung, realizada em 21 países onde o jovem brasileiro se destaca como o terceiro mais religioso do mundo, após os nigerianos e guatemaltecos. 95% dos brasileiros entre 18 e 29 anos afirmam ser religiosos e 65% profundamente religiosos.
Os dados são interessantes, quando confrontados, pois do total de jovens pesquisados 66,2% são católicos, 18,8% são protestantes, 7,9% são religiosos, mas não seguem nenhuma religião, 4,0% são ateus, 1,4% são espíritas, 1,4% "outros" e 0,3% não sabem responder ou não opinam.


A pergunta que não quer calar é onde será que está a Umbanda neste contexto, será que somos uma parte dos "outros", diria que tecnicamente sim, mas não é o que penso, acredito que somos sim uma parte dos "outros" mais uma parte dos Espíritas; mais uma parte dos religiosos que não seguem nenhuma religião; mais uma parte dos católicos; mais uma parte dos protestantes; e até mais uma parte dos que não sabem e não opinam... enfim nunca sabemos direito quem somos nós. Vem aí, em 2010, o novo censo e com certeza continuaremos sem saber quantos somos, pois a maioria dos umbandistas e freqüentadores não assumem que são umbandistas.


Podemos ainda ir mais longe.
Lembre-se, são 62,2% de católicos e 18,8% de protestantes, mas quando a pergunta mudou para:
Você acredita em reencarnação?
As resposta foi que 67% tem crença alta (acreditam), 23% tem crença média (me parece que nem acredita nem desacredita), apenas 6% tem crença baixa (não acredita) e 4% não responderam.
Sabemos que protestantes e católicos não aceitam a reencarnação.
Quem são estes, afinal, que se dizem destas denominações e ao mesmo tempo crêem na reencarnação?
São católicos-espíritas, católicos-umbandistas, protestantes-esotéricos, protestantes-espíritas ou outras variações possíveis como "macumbeiro-evangélico" ou "candoblecista-cristão".
O Brasil é o país mais espírita do mundo, mais católico do mundo e claro, o mais umbandista do mundo, no entanto, é também o único lugar do mundo onde encontraremos "católicos não praticantes". Somos católicos porque um dia fomos batizados em uma Igreja Católica, que batiza para não ficar pagão, batiza para não ter doenças, batiza para não ter quebranto e batiza porque os avós fazem questão.

Existe uma brasilidade acima de qualquer credo, é como raça, boa parte dos brasileiros não sabe se é branco, negro, amarelo, vermelho, pardo, mulato, jambo, cafuso, mameluco, "café com leite" e outros, no final somos brasileiros e fugimos de rótulos. Bom para quem quer liberdade, complicado para quem quer estimativa, difícil para quem quer ser reconhecido, dificílimo para quem luta contra discriminação e intolerância. Afinal, "são tão poucos os umbandistas, que sua religião está mais para uma seita". Ledo engano. Somos muitos, somos muito mais que os quatrocentos mil computados no ultimo censo, somos no mínimo umas dez vezes este número, uns quatro milhões, por baixo.
A questão é cultural.
A umbanda não pede a conversão.
"Católicos" freqüentam Umbanda a vida inteira sem se converter, sem sentir-se umbandista.
Quem sabe deveríamos promover o batismo de consulentes, marcar umas duas datas ao ano para todos os consulentes que queiram se batizar e desta forma criar uma maior identificação.
Quanto ao batismo de médiuns, não precisamos falar, pois há terreiros que enfrentam dificuldades em entender o batismo, apesar de nos dias de hoje termos tanta informação disponível.
Não há mais desculpa!
Vamos estudar e de cabeça erguida assumir o orgulho de ser umbandista.
Afinal praticar e/ou freqüentar a Umbanda e não dizer-se umbandista é mais que um auto preconceito, é pura falta de conhecimento do que representa a Umbanda – uma religião que é universalista ao extremo e valoriza a individualidade de cada um, sem homogeneidades.
Além das questões acima, fica a questão principal, do ponto de vista da reportagem na revista Época,
o que pensa o jovem e quem está pronto para receber o jovem.
Do nosso ponto de vista, fica uma pergunta apenas e todas as suas implicações e questionamentos individuais e coletivos: A UMBANDA É POP?
Fonte: Jornal de Umbanda Sagrada - Junho de 2009

segunda-feira, 15 de junho de 2009

SALVE O POVO DO ORIENTE !!!


SALVE O POVO DO ORIENTE !!!

Uma das falanges que mais tem enviado espíritos à Corrente Astral de Umbanda, é, sem dúvida, a do Povo do Oriente.


Depois que a Umbanda foi anunciada em 15 de novembro de 1908 pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas, este espírito, além de convocar para o labor o Preto-Velho Pai Antônio, trouxe também um outro colaborador astral que tivera encarnação como sacerdote no continente asiático. Apresentou-se este espírito com o nome de Caboclo Orixá Malé (Irradiação de Ogum), entidade de muita luz e força, e experiente no combate a baixa magia.

Observamos, portanto, que espíritos que tiveram vida corpórea nas regiões orientais do globo terrestre, já estavam cerrando fileiras na religião de Umbanda. São de elevado senso espiritual e moral, e na maioria das vezes se apresentam nos terreiros sob a roupagem fluídica de Pretos-Velhos ou Crianças, vestimentas que mais se adequam a sua missão dentro de nossa religião.

Os espíritos orientais vieram à Umbanda com a missão maior de humanizarem corações endurecidos, de fecundarem no mental das pessoas os reais valores espirituais, morais, éticos e de comportamento, em consonância com os ensinos do Mestre Jesus.

O Povo do Oriente não se constitui em linha ou irradiação tal como as de Oxósse, Iemanjá, Ogum etc. É uma imensa legião de espíritos que estão ligados à Irradiação de Oxalá. Esta falange tem como patrono um espírito irradiador de muita luz, e que em sua última encarnação conhecida recebeu o nome de João Batista, aquele que batizava o povo e anunciava a chegada do Messias.

O símbolo dos falangeiros do oriente é o sol, astro-rei, cujo nascer acontece no oriente ou ponto cardeal leste, e a sua cor é o amarelo, que representa sabedoria e elevação espiritual. Aproveitamos o presente tema para esclarecermos a médiuns e assistentes que em alguns terreiros, por conta de supostas atividades de espíritos de origem oriental, alguns "médiuns" dizendo-se manifestados por estes espíritos, estão se colocando em posição de mãos e pés cruzados, ou seja em posição de meditação ou de Lótus, usando turbantes e sentados em tapetes coloridos, num verdadeiro espetáculo teatral, atraindo assim os descuidados. Os orientais não têm o mínimo interesse e necessidade de se apresentarem de tal forma. Infelizmente virou moda para alguns vaidosos dizerem aos quatro cantos que trabalham com espíritos orientais. Fiquem atentos.

Salve o Mestre João Batista !!!

Salve o Povo do Oriente !!!

Linha do Oriente


TEXTO DE Edmundo Pellizari

ESCRITO PARA O JORNAL DE UMBANDA SAGRADAA

Linha do Oriente é parte da he­rança da Umbanda brasileira. Ela é com­posta por inúmeras entidades, classi­ficadas em sete falanges e maiorita­riamente de origem oriental.

Apesar dis­­so, muitos espíritos desta Linha po­dem apre­sentar-se como caboclos ou pretos velhos.O Caboclo Timbirí (ca­bo­clo japo­nês) e Pai Jacó (Jacob do Ori­ente, um preto velho bastante ver­sado na Ca­bala Hebraica), são os casos mais co­nhe­cidos.

Hoje em dia, ganha força o cul­to do Caboclo Pena de Pa­vão, enti­dade que trabalha com as for­ças espiri­tuais divinas de origem indiana.Mas nem todos os espíritos são ori­entais no sentido comum da palavra.

Es­ta Linha procurou abri­gar as mais di­ver­sas entidades, que a princípio não se encaixavam na matriz formadora do bra­sileiro (índio, português e afri­cano).

A Linha do Oriente foi muito popular de 1950 a 1960, quando as tradições bu­­­distas e hindus se firmaram entre o povo brasileiro.

Os imigrantes chineses e japoneses, sobretudo, passaram a fre­­qüentar a Umbanda e trouxeram se­us ances­trais e costumes mágicos.

Antes destas datas, também era co­mum nesta Linha a presença dos que­ridos espíritos ciganos, que possuem ori­­­gem oriental.

Mas tamanha foi a sim­patia do povo umbandista por estas en­­­tidades, que os espíritos criaram uma "Linha" independente de trabalho, com sua própria hierarquia, magia e ensi­na­mentos.

Hoje a influência do Povo Ci­gano cresce cada vez mais dentro da Umbanda.

Existem muitas maneiras de classi­ficar esta Linha e este pequeno artigo, não pretende colocar uma ordem na ma­neira dos umbandistas estudarem es­ta vertente de trabalho espiritual.

Dei­xo a palavra final para os mais ve­lhos e sábios, desta belíssima e diver­sificada religião.

Coloco aqui algumas instruções que colhi com adeptos e mé­diuns afinados com a Linha do Oriente.

Namaste e Salve o Oriente!

CARACTERÍSTICAS DA LINHA DO ORIENTE:. Lugares preferidos para ofe­rendas: As entidades gostam de co­linas descampadas, praias desertas, jar­dins reservados (mas também rece­bem oferendas nas matas e santuários ou congás domésticos)..

Cores das velas: Rosa, amarela, azul clara, alaranjada ou branca..

Bebidas: Suco de morango, suco de abacaxi, água com mel, cerveja e vinho doce branco ou tinto.. Tabaco: Fumo para ca­chimbo ou charuto.Tam­­bém utili­zam ci­gar­ro de cravo..

Ervas e Flores: Alfa­zema, todas as flores que sejam bran­cas, palmas ama­relas, mon­senhor branco, monse­nhor amarelo..

Essências: Alfazema, olíbano, ben­joim, mirra, sân­da­lo e tâmara..

Pedras: Citrino, quart­zo rutilado, topá­zio im­perial (citrino tor­nado ama­relo por aque­ci­men­to) e topá­zio..

Dia da semana recomen­dado para o culto e ofe­rendas semanais: Quinta-feira..

Lua recomendada (para oferenda mensal): Se­gundo dia do quarto min­guante ou primeiro dia da Lua Cheia..

Guias ou colares: Colar com cento e oito contas (108), sendo 54 brancas e 54 amarelas. Enfiar se­qüencial­mente uma branca e uma amarela. Fechar com firma branca.

As enti­dades india­nas também utilizam o rosá­rio de sân­dalo ou tulasi de 108 con­tas (japa ma­la). Algumas criam suas pró­prias guias, se­gundo o mis­tério que trabalham.

CLASSIFICAÇÃO DA LINHA DO ORIENTE

Suas Falanges, Espíritos e Chefes:

01 - Falange dos Indianos:Espíritos de antigos sacerdotes, mes­tres, yogues e etc. Um de seus mais conhecidos inte­gran­tes é Ramatis. Está sob a chefia de Pai Zartu.

02 - Falange dos Árabes e Turcos:Espíritos de mouros, guerreiros nôma­des do deserto (tuaregs), sábios marroquinos, etc... A maioria é mu­çulmana. Uma Legião está composta de rabinos, cabalistas e mestres judeus que ensinam dentro da Umbanda a mis­teriosa Cabala. Está sob a chefia de Pai Jimbaruê.

03 - Falange dos Chineses, Mon­góise outros Povos do Oriente:Espíritos de chineses, tibetanos, japoneses, mongóis, etc. Curio­sa­men­te, uma Legião está in­te­grada por es­pí­ri­tos de origem esquimó, que tra­balham muito bem no desmanche de demandas e feitiços de magia ne­gra. Sob a chefia de Pai Ory do Oriente.

04 - Falange dos Egípcios:Espíritos de antigos sacerdotes, sacer­dotisas e magos de origem egípcia antiga. Sob a chefia de Pai Inhoaraí.

O5 - Falange dos Maias, Toltecas,Astecas e Incas:Espíritos de xamãs, chefes e guer­rei­ros destes povos. Sob a chefia de Pai Itaraiaci.

06 - Falange dos Europeus:Não são propriamente do Oriente, mas inte­gram esta Linha que é bas­tante sincrética. Espí­ri­­tos de sábios, ma­gos, mestres e velhos gue­rreiros de origem européia: romanos, gau­leses, ingleses, es­can­dinavos, etc. Sob a che­fia do Impe­rador Marcus I.

07 - Falange dos Médicos e Sábios:Os espíritos desta Falange são especiali­zados na arte da cura, que é integrada por médicos e tera­peutas de diversas origens. Sob a chefia de Pai José de Arimatéia.

A história de Iansã


A história de Iansã Oiá, literalmente, "aquela que rasga", e que eu reconto aqui é para elas:

Iansã Oiá tinha um pai adotivo e vivia com ele na mata. Ele era o maior de todos os caçadores.Um dia, morreu e deixou Oiá muito triste.

Ela decidiu que queria fazer uma homenagem para o pai.Embrulhou seus pertences de caça num pano, preparou suas iguarias favoritas.E dançou e cantou por sete dias, espalhando seu vento por toda parte e fazendo vir todos os caçadores da terra.

Na sétima noite, embrenhou-se na mata e depositou ao pé de uma árvore sagrada os pertences de seu pai.Olorum, que sempre vê tudo, ficou comovido.

Fez da jovem Iansã guia dos mortos no caminho sagrado, Orum Aiê e mãe dos espaços dos espíritos.

Fez de seu pai, Odulecê, um orixá.E do gesto de Oiá, o ritual ao qual todos os mortos têm direito: comidas, cantos, danças e um espaço sagrado...

Iansã teve muitos homens e de cada um ganhou uma coisa importante:

De Ogum, o ferreiro divino, ganhou nove filhos e o direito de usar a espada para defender-se e defender os outros;

De Oxaguiã, o jovem construtor, ganhou um escudo para proteger-se dos inimigos;

De Exu, o mensageiro, ganhou o direito de usar a magia e o poder do fogo para realizar desejos;

De Oxóssi, o caçador, ganhou o saber da caça para alimentar seus filhos;

De Logun Edé, o senhor das matas, ganhou o direito de tirar das cachoeiras os frutos d' água para seus filhos;

Com Xangô, o juiz, viveu o resto da vida e ganhou dele o poder do encantamento, o posto da justiça e o domínio dos raios.

Um dia, houve uma festa, todos os orixás estavam presentes.

Omulu-Obaluaê, o temido orixá das doenças, chegou vestido de palha. Ninguém o reconheceu e nenhuma mulher quis dançar com ele.

Mas eis que, de repente, Oiá-Iansã entra na roda e atrave-se a dançar com o Senhor da Terra.E tanto girava que levantou o vento, e o vento descobriu a palha de Omulu.

Todos puderam ver o quanto ele era belo.E o reverenciaram.Ele ficou tão grato que fez de Oiá a rainha dos espíritos dos mortos, Oiá Igbalé, a condutora dos eguns, os espíritos dos mortos).E ela dançou de alegria a sua dança que convoca o vento.

As filhas de Iansã devem ser assim, apaixonadas, amantes dos temporais, amazonas de ventanias...Adília Belotti

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Pontos de Exu






Clarão na encruzilhada

Deu um clarão na encruzilhada
e do clarão surgiu uma gargalhada
Não era o sol
nem era a lua
oque brilhava era o mestre Tranca ruas


E do querer


Exú é do querer, querer
Na hora grande é que eu quero ver
Exú é do romper da aurora
Seu Tranca Tudo é quem manda agora
Exú é do querer, querer
Na hora grande é que eu quero ver
Exú é do romper da aurora
Exú Caveira é quem manda agora

Exú João Caveira
Portão de ferro


cadeado de madeira


Portão de ferro


cadeado de madeira


Quem manda no cemitério


é o João Caveira


Quem manda no cemitério


é o João Caveira


Exú Tranca Rua Das Almas

O Sino da Igrejinha faz Belem, Blem, Blom
O Sino da Igrejinha faz Belem, Blem, Blom
Deu Meia Noite o Galo Já Cantou
Seu Tranca Rua Que é o Dono da Gira
Oi Corre Gira que ogum Mandou
O Sino da Igrejinha faz Belem, Blem, Blom
O Sino da Igrejinha faz Belem, Blem, Blom
Deu Meia Noite o Galo Já Cantou
Seu Tranca Rua Que é o Dono da Gira
Oi Corre Gira que ogum Mandou
Exu Veludo (chamada)
Ninguém pode comigo
Eu posso com tudo
Na encruzilhada
Ele é Exu Veludo
Abram alas que aí vem Seu João >
Com sua caveira na mão > bis
Ele vem da calunga
Ele vem no congá
Mas ele vem pra ver seus filhos
que o amam
Mas ele vem pra trabalhar

Exu Sete da Lira
Sou Exu, trabalho no canto
Quando canto desmancho quebranto
Sete cordas tem minha viola
Vou na gira
De lenço e cartola
Viola é tridente >
Cigarro é charuto
Bebida é marafo
Sou Sete da Lira
Derrubo inimigo
Ponteiro de Aço. > bis.


Exu Sete Encruzilhadas
As curas do Seu Sete Encruzilhadas
Têm uma beleza rara
O Seu Sete começa
Aonde a medicina para
Mas ele cura mesmo?
Cura sim senhor!
Mas ele cura mesmo?
Os filhos seus
Me cura Seu Sete>
Pelo amor de Deus> bis

SEU TRANCA RUA É UMA BELEZA
EU NUNCA VI UM EXU ASSIM
SEU TRANCA RUA É UMA BELEZA
ELE É MADEIRA QUE NÃO DÁ CUPIM!




















terça-feira, 9 de junho de 2009

Mulheres nos Terreiros



Doutrina e Cultura Umbandista
Mulheres nos Terreiros

Por Mônica Berezutch

Irmãos leitores, houve época em que as médiuns eram proibidas de serem diri­gentes espirituais, sacerdotisas, mães, etc, mesmo que elas já estives­sem pre­paradas. Nesta época elas não podiam ser ogãs, ou seja, aquelas que tocam ou assu­­mem a responsabilidade da curim­ba (atabaques) do terreiro.
A mulher assim que soubesse da sua gravidez era afastada, pois a mes­ma não poderia trabalhar na corrente. E quando essa mulher incorporava, guias masculinos, precisava amarrar-lhe um pano em seu corpo para blo­que­ar as energias femininas.
As mesmas não podiam “trabalhar” no seu terreiro, quando estavam mens­truadas, justificando que seu cor­po es­tava aberto e, assim sendo, im­puro.
As indiferenças, os preconceitos, pres­sões e humilhações foram atitudes vindas de uma socie­dade machista que jul­gava-se superior, que refletiam na época, na vida espiritual, social e afe­tiva. Mas, mesmo assim, a mulher con­fiou na dua­lidade de Pai/Mãe Olorum e, prin­ci­pal­mente, tempo/evolução.
Quero acreditar que os tempos mu­daram, evoluíram, e que as mulheres estão sendo consideradas médiuns in­depen­dente do seu estado; que fazem parte do corpo mediúnico de um terreiro em igual­dade com os demais.
Desde os primórdios da Umbanda, as mulheres podiam incorporar Orixás mas­culinos e também guias como Caboclo, Preto Velho, Baiano, Boiadei­ro, Marinhei­ro, Ciganos, Exu e Exu Mi­rim, e já tinham como guia chefe, men­­tor ou guia de frente uma entidade mas­culina. São tantas as mulheres, senho­ras, meninas, moças, idosas que trabalham, e se formos analisar, hoje a maioria dos terreiros é composta por um número maior de mulheres médiuns.
Muitas mulheres são tão guerrei­ras, líderes, inteligentes quanto os ho­mens. Não há diferença para Pai/Mãe Olorum, pois na sua dualidade gerou de seu interior seres masculinos e seres femininos, com o mesmo princípio e genética, os criou e os dotou com qualidades, atributos e atri­bui­ções iguais.
Tem pai sacerdote, dirigente espi­ritual que até hoje não incorpora Orixás femi­ninos, como também não incorpora Ca­bocla, Preta Velha, Cigana, Erê fe­minino, Pomba Gira e Baiana.
Muito raramente você encontra em terreiros um dirigente masculino tendo como mentora, guia chefe ou guia de fren­te uma entidade feminina.
Nós umbandistas reclamamos da discriminação, do preconceito, da falta de respeito com as nossas práticas religiosas, porém falta entendimento mútuo para os próprios umbandistas.
E quando um dirigente espiritual, rompe estas barreiras preconceituosas e pratica a doutrina umbandista com igual­dade, é considerado no próprio meio um inconseqüente, e passa a ser visto como um adversário.
Os fundamentos umbandistas e as leis que regem a base ritualística, não ditam que homens e mulheres tenham atitudes diferenciadas dentro dos ter­reiros.
Apesar de tudo, e graças ao Divino Trono do Tempo, tudo na vida renova-se e evolui, pois é uma lei natural gerada e criada pelo Divino Pai/Mãe Olorum.
Enquanto houver pessoas que acre­ditam na igualdade do ser humano e sabem que a dualidade de Pai/Mãe Olo­rum é infinita, continuarão pra­ticando e respei­tando as suas leis imu­táveis que são eter­nas. Enquanto os seres humanos acre­ditarem na sua igualdade e na dualidade de Pai/Mãe Olorum, continuarão a ma­nifestar de seu íntimo o amor incondi­cional. Parabéns Pai/Mãe Olorum.
Um grande abraço.

CONVERSANDO SOBRE ESPIRITUALIDADE E SAÍDAS DO CORPO



CONVERSANDO SOBRE ESPIRITUALIDADE E SAÍDAS DO CORPO II*
(Uma Entrevista com o Pai Joaquim de Aruanda - Um Preto-Velho Maravilhoso)

1. Por que muitos abandonam os estudos espirituais?
Resposta: A resposta é clara, meu filho: ego grande demais para suportar as provas do caminho, e coração pequeno, sem humildade para reconhecer os passos tristes e as atitudes tempestivas e irracionais. A maioria se deixa levar pelas seduções materiais do meio; e outros, pelas atrações psíquicas deletérias as quais se vinculam, muitas vezes influenciadas por pessoas ou ambientes correlacionados aos seus anseios internos.
O certo é que muitos titubeiam diante do desenvolvimento espiritual e caem, vitimados por orgulho e intemperança. E Nosso Senhor estava certo, quando ensinava que “alguém pode até ganhar o mundo, mas, também, pode perder sua alma”.

2. Por que muitos até mesmo renegam o caminho espiritual, voltando-se pesadamente contra aquilo que antes estudavam?
Resposta: Meu filho, vamos ser bem claros nisso. O trabalho com as coisas do espírito não é tarefa fácil. Quem está nessa senda precisa ter fibra forte na vontade e grande generosidade no coração, além de muita paciência...
Não é possível desenvolver-se adequadamente se não houver compromisso forte e vontade inquebrantável no cerne do espírito. E muitos se desviam da senda da luz porque os atrativos do mundo são muito sedutores e os atraem para os becos do caminho. E porque eles são fracos de vontade, e fortes de orgulho. Pensam que sabem muito e que estão sempre corretos. No entanto, por dentro, sem a luz do espírito para intuí-los dos enganos da matéria, estão bem esculhambados. Podem até vestir-se bem e terem certa fama em seus meios, mas, com as energias sujas e o lado espiritual congelado, não passam de crianças birrentas e sujas de lama psíquica. Muitos dão pena, embora pareçam realizados no mundo e contentes com suas ilusões. Porém, estão expostos a toda sorte de assédios extrafísicos, ocultos e deletérios, principalmente durante o sono do corpo, quando se desprendem da matéria e ficam de frente com seus algozes espirituais. E aí, quem poderá salvá-los de serem vilipendiados energeticamente?
A verdade secreta é essa: quem se deixa levar pela inércia ou pela arrogância, torna-se vítima de entidades horríveis, que roubam suas energias e seu equilíbrio psíquico. E muitos têm dormido mal por esse motivo: são espoliados espiritualmente enquanto tentam descansar. E, presos de grande arrogância, nem lembram-se de orar e pedir proteção aos mentores de luz, que são trabalhadores valorosos de Nosso Senhor.

3. E os que bandeiam para o lado escuro da força? Os que passam para o lado das trevas conscienciais?
Resposta: Meu filho, essas pessoas se esquecem que os espíritos vêem além da carne e da aparência. Em sua prepotência, elas pensam poder manipular as entidades do mundo invisível ao seu bel prazer.
Ledo engano. Enquanto elas imaginam serem donas de suas vontades, entidades malévolas e treinadas em manipulações psíquicas de todos os tipos roubam sua harmonia e suas energias. Às vezes, elas até as ajudam em algumas coisas, para ganharem sua confiança, mas, gradualmente, se apossam de suas vidas, ao ponto de implantarem idéias esdrúxulas em suas mentes, levando-as para os becos escuros do ego e da falta de bom senso. E muitos caem assim!
Então, aqui cabe um alerta para todos: quem almeja o mal de alguém, seja por qual motivo for, já está em sintonia com mentes extrafísicas malignas que habitam no Invisível e gostam de ligar-se aos incauto de todos os tipos. Nem mais nem menos: pensamentos e intenções deletérios atraem psiquicamente entidades nefastas para a vida da pessoa.
É preciso ponderar bastante e refletir em cima dos ensinamentos espirituais elevados, para não entrar em climas mentais perversos. E Nosso Senhor sempre alertou sobre isso, dizendo: “Orai e Vigiai!”

4. Como diz o aforismo espiritual, “semelhante atrai o semelhante”, não é mesmo?
Resposta: Meu filho, isso pode ser complementado com outro ensinamento de Nosso Senhor: “A cada um segundo suas obras!”
Nem mais nem menos: é assim mesmo que as coisas funcionam, no mundo e no espaço espiritual.

5. E sobre as saídas do corpo? O senhor pode dar algum toque legal sobre esse tema?**
Resposta: Ah, meu filho! Mesmo nesses estudos a maioria se perde fácil. Falando bem claro e firme: muitos que estudam isso padecem de um medo terrível de espíritos e do Invisível. E muitos estão é com “o rabo preso” em algumas coisas, como o fato de pensar mal dos outros. Além disso, a maioria dorme pensando num monte de coisas relacionadas ao plano da matéria – ou no terreno das emoções pegajosas.
A chave dessas saídas da matéria reside em adormecer com o pensamento voltado para algum clima espiritual. É preciso dar uma pausa para si mesmo e desprender-se antes das coisas relacionadas aos assuntos do mundo. Entrar no sono com a mente voltada para as coisas do espírito. Nem mais nem menos: deitar-se lembrando que é um espírito e que a morada real é no plano espiritual, seu ponto de origem.
E, para aqueles que sabem da grandiosidade de participar de algum trabalho de assistência extrafísica junto com seus mentores, basta mergulhar no sono com esse pensamento sendo o alvo psíquico de sua experiência.
E não custa nada orar antes de deitar o corpo na cama! Não que isso seja essencial para uma viagem fora do corpo; mas isso quebra o ego no meio e faz a pessoa lembrar-se do Céu e de coisas boas. E que a prece seja de coração, agradecendo a todos os trabalhadores da Luz, que sempre agem em nome de Nosso Senhor.
E aqui cabe outro alerta: quem quiser lidar com isso de forma justa e sadia, que estude seriamente o tema; que abra o coração para além da mente, com alegria e honra de estar na sintonia das coisas do espírito; que isso seja para melhorar o próprio nível de consciência e tornar-se mais feliz e sereno; que isso faça o estudante tratar melhor aos outros e valorizar a existência e todos os seres; em suma, que isso leve a pessoas para o caminho da Luz.

6. E sobre a mediunidade? O senhor também pode passar algum toque legal?***
Resposta: Meu filho, vou resumir isso numa só palavra: RESPONSABILIDADE.
Essa é uma área onde a leviandade faz a pessoa pagar um preço caro. Abrir o próprio campo energético é coisa séria demais. Não se pode brincar com isso. Essa atividade exige dos interessados um alto grau de dedicação e de amor. Também exige perseverança e paciência. Contudo, muitos não querem assumir tal responsabilidade.
E médium bom “não arrepia para fora do caminho”, por nada!” – E nem se corrompe, por coisa alguma. E não falta levianamente às reuniões de que participa.
Ah, meu filho! Se não fosse a paciência dos guias espirituais...****

7. Por favor, fale algo sobre fanatismo.
Resposta: Meu filho, fanatismo é doença psíquica séria demais!
É uma espécie de vírus do ego. E é encontrado em todas as áreas humanas, até mesmo na Ciência.
Sua base é sempre o ego, que pressupõe que seu caminho é melhor do que o dos demais. Seja o religioso, o cientista, o político, o esportista, ou o estudante espiritual, todos podem padecer desse mal. Portanto, falar de modéstia e flexibilidade é uma necessidade básica. Alertar sobre o orgulho de se achar o máximo, é o mínimo. E saber que muitos são os caminhos que levam ao Divino, que está em tudo, é sabedoria.

8. O senhor pode me ajudar a não esquecer essa entrevista, quando eu voltar para o meu corpo físico? Os seus toques conscienciais serão úteis para reflexões de outros estudantes espirituais, de várias áreas.
Resposta: Ah, meu filho! Fique tranquilo. Eu não estou sozinho nisso. Você me vê aqui perto, mas, de planos mais altos, seres de luz, amorosos e verdadeiros, estão intuindo esse nosso colóquio espiritual, para bem de todos. E, mais além deles, são as vibrações de Nosso Senhor que sustentam os trabalhos de esclarecimento e assistência espiritual.
Meu filho, eu sou um pequeno servidor do Céu, só isso. E sou feliz assim. Para que mais? E meu coração está cheio de agradecimento e fé. E o amor de Nosso Senhor irá garantir sua lembrança na carne.
Então, volte à matéria e escreva. E depois, ore e agradeça ao Céu, pela chance do aprendizado e do trabalho que honra as coisas do espírito.
Pense nisso: o amor também melhora a memória das saídas do corpo.
Meu filho, siga com o amor e a Fé... Nas luzes de Nosso Senhor.

P.S.:
Esses escritos são a transcrição de um papo extrafísico com o Pai Joaquim de Aruanda, amoroso benfeitor espiritual das lides de Umbanda. Conversei com ele, durante uma experiência fora do corpo, e consegui trazer para a memória física os seus toques conscienciais profundos e verdadeiros. Ele não se arroga como mestre de nada e eu, muito menos. Se esses escritos forem úteis para a reflexão sadia de alguém, ótimo.
O resto é com o Grande Arquiteto Do Universo, que conhece a todos e move os corações. Ele é o cara!
Em tempo: faço questão de deixar registrado aqui que, ao longo dos anos, em muitas ocasiões, dentro e fora do corpo - e até pela minha postura de trabalhar sempre de maneira universalista e consciente -, fui bastante ajudado pelos amparadores espirituais que operam nas linhas espirituais de Umbanda. E conheço outros projetores e médiuns que também foram ajudados em seus trabalhos por esses mesmos amigos extrafísicos, mas que não falam isso por vergonha, ou por medo da opinião dos outros. Então, como não sou de Umbanda e nem sigo nenhuma doutrina criada pelos homens da Terra, estou tranquilo para falar a verdade e com o coração cada vez mais aberto e contente, sabendo que espiritualidade é um estado de consciência e que o mundo espiritual se apresenta de diversas maneiras e roupagens, tantas quanto o homem precisar.
Aqui e agora, muito obrigado, Pai Joaquim de Aruanda – e os amparadores extrafísicos, de todas as linhas espirituais.

Paz e Luz.

São Paulo, 08 de junho de 2009.

- Notas:
* A primeira parte desse texto pode ser acessada no site do IPPB – www.ippb.org.br -, no seguinte endereço específico:
http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=6395.
** Projeção da consciência – é a capacidade parapsíquica - inerente a todas as criaturas -, que consiste na projeção da consciência para fora de seu corpo físico.
Sinonímias: Viagem astral – Ocultismo.
Projeção astral – Teosofia.
Projeção do corpo psíquico - Ordem Rosacruz.
Experiência fora do corpo – Parapsicologia.
Viagem da alma – Eckancar.
Viagem espiritual – Espiritualismo.
Viagem fora do corpo – Diversos projetores extrafísicos e autores.
Emancipação da alma (ou desprendimento espiritual) – Espiritismo.
Arrebatamento espiritual - autores cristãos.
*** Mediunidade – É o conjunto dos fenômenos parapsíquicos manifestado pelo indivíduo (médium) sob a influência de seres extrafísicos.
**** Amparador extrafísico – entidade extrafísica e positiva que ajuda o projetor nas suas experiências extracorpóreas; mentor extrafísico; mestre extrafísico; companheiro espiritual; protetor astral; auxiliar invisível; guardião astral; guia espiritual; benfeitor espiritual.
Obs.: Enquanto eu digitava essas linhas, lembrei-me de um texto escrito no ano de 2006, que cabe bem aqui no final desses escritos de hoje. Segue-se o mesmo na seqüência.

OXALÁ

Orixá dos Orixás*
Semeador de vida
Senhor do destino dos homens
Turbilhão e calmaria no coração

No silêncio da noite e na luz do dia
O Teu silêncio e o Teu brilho
Em cada homem e mulher
O Teu selo divino

Em cada rosto, o Teu beijo invisível
Em cada criança, o Teu sorriso
Em cada beijo, os Teus lábios
Em cada ser, a Tua Luz

No negro e no branco, as polaridades de Tua energia
Na Terra ou no Céu, o Teu sopro vital em tudo
Na canção da Criação, a Tua poesia maior
Cada espírito é um pensamento Teu

Na linha do horizonte, entre o céu e o mar
Na aurora que rende a noite, o brilho de mais um dia
O horizonte, o mar, a noite, a aurora, a canção, tudo Teu
O dia, as estrelas, a vida, esses escritos, o leitor e eu, tudo Teu

P.S.:
Na outra linha do horizonte, entre a mente e o coração,
Fui chamado a escrever essas linhas despretensiosas.
Não sei o motivo, e pouco importa.
Só sei que fui acordado para isso, sei lá por quem.
Agora, já raiou uma nova aurora, filha da luz solar.
E eu fico aqui, igual criança, pedindo a Oxalá,
Que abençoe mais esse dia;
Que Ele encante os corações e inspire a humanidade.

Oxalá!
Epaô Baba!

(Esses escritos são dedicados aos meus amigos do JUS – Jornal de Umbanda Sagrada, e ao Pai Joaquim de Aruanda, maravilhoso benfeitor espiritual, cheio de sabedoria e amor.)

Paz e Luz.

- Wagner Borges – sujeito com qualidades e defeitos, 44 anos de “encadernação”, carioca radicado em São Paulo, libriano, pai das filhas-estrelinhas Helena e Maria Luz; espiritualista de mente aberta, que não segue doutrina alguma criada pelos homens da Terra, e que sabe que é o mesmo TODO que está em tudo, pouco importando o nome e a maneira pela qual cada um O sinta em seu próprio coração, em espírito e verdade (2).
São Paulo, 07 de maio de 2006.

- Notas:

* Oxalá (Osalá, ou Orisalá): Oxalá é a criação, o começo do mundo, o princípio de tudo. O criador dos orixás, dos seres humanos, da natureza. Foi ele quem permitiu a todos os orixás escolherem seus domínios e seus filhos quando estes nascem.
É o mais importante e elevado dos deuses iorubanos. Representa o céu, o princípio de tudo, e foi encarregado de criar o mundo. De sua união com Iemanjá resultou o nascimento da maioria dos orixás. É o pai da brancura, da paz, da união, da fraternidade entre os povos da terra e do universo. É considerado o fim pacífico de todos os seres.
Saudação espiritual de Oxalá: Epaô Baba!
** Enquanto eu passava a limpo essas linhas, lembrei-me da canção “Na Linha do Horizonte”, sucesso da banda brasileira Azymuth, no ano de 1975. A letra é simples, mas sua melodia é fantástica, e o trabalho de teclados é primoroso.
Enquanto o Rei-Sol brilha lá fora, fazendo as partículas de prana (energia) dançarem na atmosfera, coloco a canção para rolar no som e olho pela janela e me admiro com o Poder Maior que cria os zilhões de sóis na imensidão sideral e faz a maravilha da vida acontecer. Segue a letra dessa bela canção logo abaixo.

NA LINHA DO HORIZONTE

- por Azymuth -

"É, eu vou pro ar
No azul mais lindo
Eu vou morar.
Eu quero um lugar
Que não tenha dono
Qualquer lugar.

Eu quero encontrar a rosa dos ventos e me guiar.
Eu quero virar pássaro de prata e só voar.
É, aqui onde estou
Essa é minha estrada por onde eu vou.
E, quando eu cansar,
Na linha do horizonte eu vou pousar.
Na, na, na, na...

segunda-feira, 8 de junho de 2009

O Povo Incompreendido: Exús e Pombagiras

Guardiões, Povo em evolução, Compadres e Comadres, Povo de rua, Demônios, Diabos, etc e tal... São tantos adjetivos que muitas vezes não se sabe como chegar até este povo e se dirigir da maneira mais adequada e condizente.
Cada Terreiro de Umbanda tem sua designação própria, sua maneira de falar e seus tratamentos diferenciados.
Para mim, Exú é Exú.Não há outra definição melhor que a verdadeira: Exús e Pombagiras. Pois é o que eles são.
Muitas vezes, na tentativa de inibir, aterrorizar, mistificar e até mesmo ocultar seus nomes por vergonha, muitos sacerdotes (pais e mães de santo) substituem seus verdadeiros nomes na intenção de impressionar, sugestionar ou induzir.
Sejam os consulentes (assistência), sejam seus próprios médiuns (ou cavalos, aparelhos, etc).Só que não é bem assim. Já falei sobre Exú outras vezes e tentei esmiuçar bem este assunto.
Porém, como ele é extenso e por vezes contraditório entre umbandistas, ele parece não ter fim. Definições e mais definições são dadas em livros, palestras, reuniões e até congressos da religião. Para quê isso?
Se nem o básico muitas vezes sabemos sobre este povo tão mal-compreendido e aceito, muitas vezes pelo próprio médium que se diz umbandista?
Como explicar isto?
Na verdade, o título poderia muito bem se referir a nós, encarnados, homens e mulheres da terra. Nós sim é que somos complicados.
Na verdade não somos incompreendidos.
Somos muitas vezes incompreensíveis.
Imagine o que deve ser para um Exú e Pombagira de luz (se não tem luz não é Exú ao meu entendimento), chegar ao nosso plano, ter que voltar ao contato com seres encarnados, completamente envolvidos em suas complexidades (problemas financeiros, amorosos, sexuais, familiares, etc), serem chamados por diversos nomes e apelidos e ainda por cima darem suas excelentes consultas e prestarem os mais variados auxílios a nós?
Justo a nós, que os classificamos tanto, como se fossem espécies de uma determinada tribo? Justo a nós, que com nossas manias e necessidades primárias de entendimento damos a eles os mais estranhos aspectos, talvez os piores já vistos na face da terra?
E por que nós?
Será que somos tão merecedores assim?
A resposta é sim.
Mesmo com tudo o que somos capazes de criar, ainda assim eles nos entendem.
E o melhor: nos dão uma nova chance. É claro que com limites. Se você persistir no erro e não quiser mudar, não há o que possa ser feito por eles.
Mas ainda assim, com todas as nossas falhas, nossas imperfeições, nossas ingratidões e absurdos cometidos – com nós mesmos e com eles – os Exús e Pombagiras, respeitados e temidos por nossos irmãozinhos inferiores do Astral, continuam reinando e reinarão absolutos nos Terreiros de Umbanda onde a lei se faça presente.
Pois é Exú o primeiro a se apresentar nos entraves espirituais, nas batalhas invisíveis, nos campos de força e de defesa. Não há quem entenda melhor e que esteja mais bem preparado.Assim é Exú, assim é Pombagira. Cultuados e reverenciados às segundas-feiras, nas encruzilhadas e nos cemitérios, locais onde a energia se faz presente com maior intensidade.Ao povo de ganga, laroiê. Ao povo de terra, mojubá!
*Ulisses Júnior é médium de incorporação da Casa de Caridade Caboclo Rompe-Nuvem, situada no bairro de Jacarepaguá/RJ.*
Ulisses Júnior
Publicado no Recanto das Letras em 30/10/2007Código do texto: T716391

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Prece a Bezerra de Menezes


Nós te rogamos Pai de infinita bondade e justiça;

As graças de Jesus Cristo através de Bezerra de Menezes e sua legião de companheiros.

Que eles nos assistam senhor, consolando os aflitos

Curando os que se tornem merecedores

Confortando aqueles que tiverem provas e expiações a passar

Esclarecendo aos que desejam conhecer a verdade

E assistindo a todos quantos apelam ao teu infinito amor.

Jesus!

Divino portador da graça e da verdade

Estende tuas mãos dadivosas em socorro daqueles que te reconhecem o despenseiro fiel e prudente.

Faze-o, divino modelo, através de suas legiões consoladoras

De teus santos espíritos

A fim de que a fé se eleve

A esperança aumente

A bondade se expanda

E o amor triunfe sobre todas as coisas.

Bezerra de Menezes!

Apóstolo do bem e da paz

Amigo dos humildes e dos enfermos

Movimenta as suas falanges amigas em benefício daqueles que sofrem sejam males físicos ou espirituais.

Santos espíritos!

Dignos obreiros do senhor

Derramai as graças e as curas sobre a humanidade sofredora

A fim de que as criaturas se tornem amigas da paz e do conhecimento, da harmonia e do perdão

Semeando pelo mundo os divinos exemplos de Jesus Cristo.

Que assim seja!
Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguem reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento..."
Joaozinho

paijoaozinho@terreirodavobenedita.com